UBS pode retomar plano de separar banco de investimentos, diz Mediobanca

quinta-feira, 9 de janeiro de 2014 16:43 BRST
 

ZURIQUE, 9 Jan (Reuters) - O UBS pode estar considerando novamente desmembrar seu banco de investimentos --e pode até mesmo ressuscitar sua antiga marca SG Warburg-- para afastar pedidos de que reserve ainda mais capital para proteger clientes de private banking de suas atividades de investimentos, afirmaram analistas do Mediobanca.

O banco suíço cortou 2 mil postos de trabalho de 10 mil prometidos em um plano de três anos para deixar negociações de renda fixa consideradas de alto risco pelos reguladores --mas isso não foi suficiente para políticos suíços, que avaliam regras mais duras para frear empréstimos por parte do UBS e do Credit Suisse.

"Achamos que esses eventos fizeram o UBS rever planos, que temos certeza que eles possuem, para seu banco de investimentos", disse o analista Chris Wheeler, do Mediobanca, em nota, acrescentando que tal estratégia também ficou mais provável devido "à trajetória dos resultados do negócio".

Wheeler disse que baseou sua asserção na lógica estratégica para tal movimento.

O UBS tem sido escrutinado desde seu resgate em 2008 pelo governo suíço, e também está sob pressão do investidor ativista Knight Vinke para se livrar de seu banco de investimentos. O UBS sempre se recusou a fazê-lo com o argumento de que ele seria um pilar estratégico chave.

"Temos sido muito claros sobre nossa estratégia e ela inclui o banco de investimentos", disse um porta-voz do UBS nesta quinta-feira.

Uma venda direta do banco de investimentos é improvável, segundo o Mediobanca. Em vez disso, o UBS poderia desmembrá-lo entre acionistas existentes e chamá-lo de SG Warburg, inspirado no banco britânico que comprou em 1995. Depois de diversos acordos e fusões, o nome foi aposentado em 2003.

(Reportagem de Katharina Bart)