Fabricante chinesa de remédios adia IPO por oferta ser "muito grande"

sexta-feira, 10 de janeiro de 2014 08:14 BRST
 

XANGAI/HONG KONG, 10 Jan (Reuters) - Uma pequena fabricante de medicamentos se tornou a primeira aspirante à bolsa de valores da China a adiar sua listagem desde a reabertura do mercado de ofertas públicas iniciais de ações (IPOs, na sigla em inglês) do país há 10 dias, após chamar sua venda de ações de "muito grande".

A decisão, que é rara no estágio avançado de um processo de listagem, é um balde de água fria no mercado de IPOs na China continental que estava retomando as atividades depois de um hiato de quase 15 meses.

As expectativas sobre IPOs chineses estão altas, com projeções da empresa de consultoria PwC de que a captação de fundos chegue a 250 bilhões de iuanes (41,3 bilhões de dólares) em 2014.

A Comissão Reguladora de Valores Mobiliários da China (CSRC, na sigla em inglês) encerrou o congelamento sobre ofertas públicas iniciais no dia 31 de dezembro e anunciou medidas para combater a precificação muito elevada.

A reguladora pressionou a fabricante de medicamentos a adiar o processo, sinalizando que pode não estar relaxando seu controle sobre IPOs apesar de promoter que deixaria que as emissoras e subscritoras decidissem o momento e o preço, disse o serviço IFR da Thomson Reuters, citando fontes familiarizadas com a transação.

A CSRC não pôde ser encontrada imediatamente para comentar o assunto.

A Jiangsu Aosaikang Pharmaceutical buscava levantar 4,05 bilhões de iuanes (668,87 milhões de dólares) ao se listar no ChiNext da Bolsa de Valores de Shenzen em um preço que o estatal China Daily chamou de muito alto na quinta-feira.

(Por Samuel Shen e Elzio Barreto)