IPCA tem maior alta em 10 anos em dezembro e frustra objetivo do governo em 2013

sexta-feira, 10 de janeiro de 2014 13:53 BRST
 

Por Camila Moreira e Rodrigo Viga Gaier

SÃO PAULO/RIO DE JANEIRO, 10 Jan (Reuters) - Pressionado por preços de alimentos, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) encerrou 2013 com alta de 5,91 por cento, dentro da meta oficial mas acima do resultado do ano anterior, frustrando o objetivo final do governo.

Só em dezembro, o IPCA subiu 0,92 por cento, segundo dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta sexta-feira, maior resultado mensal desde abril de 2003 (0,97 por cento).

Com isso, 2013 marcou o quarto ano seguido em que a inflação brasileira fica próxima ou acima de 6 por cento. Em 2010, a inflação medida pelo IPCA ficou em 5,91 por cento, indo a 6,50 por cento em 2011 e a 5,84 por cento em 2012. A meta do governo é de 4,5 por cento, com tolerância de 2 pontos percentuais para mais ou para menos.

Os resultados ficaram acima da expectativa em pesquisa da Reuters, cuja mediana apontava alta mensal de 0,82 por cento em dezembro e de 5,82 por cento no ano passado.

De acordo com o IBGE, em 2013 o principal impacto veio de Alimentação e Bebidas, com alta acumulada de 8,48 por cento. Mesmo tendo desacelerado ante 2012 (quando subiu 9,86 por cento), o grupo sozinho teve um impacto de mais de um terço sobre toda a alta do IPCA no ano passado, mais exatamente 2,03 pontos percentuais.

"Apesar do recorde de safra, os alimentos vêm subindo de forma sistemática nos últimos anos. O clima vem afetando os preços aqui e lá fora... e a demanda mundial vem crescendo", afirmou a economista do IBGE Eulina Nunes dos Santos, acrescentando que a demanda por alimentos no Brasil e no exterior está cada vez mais forte.

O resultado do IPCA no ano só não foi pior porque, em janeiro, o governo promoveu forte redução no valor das tarifas de energia elétrica e, em meados do ano, o aumento dos preços do transporte público foi revogado em várias capitais após intensas manifestações populares.

Os preços de energia elétrica residencial fecharam o ano passado com queda média de 15,66 por cento, tendo impacto de -0,52 ponto percentual no IPCA, segundo o IBGE.   Continuação...

 
Uma vendedora em uma feira nas ruas da Vila Madalena em São Paulo. Pressionado por preços de alimentos, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) encerrou 2013 com alta de 5,91 por cento, dentro da meta oficial mas acima do resultado do ano anterior, frustrando o objetivo final do governo. 09/11/2013 REUTERS/Nacho Doce