Produtividade e câmbio seguram renda da soja em 2013/14

terça-feira, 14 de janeiro de 2014 17:35 BRST
 

SÃO PAULO, 14 Jan (Reuters) - A elevação da produtividade e o câmbio favorável às exportações deverão garantir uma renda "razoável" para os produtores de soja do Brasil em 2014, mesmo com a queda nas cotações internacionais e custos maiores com alguns insumos, avaliou nesta terça-feira a consultoria Agroconsult.

"Essa combinação tem permitido para a soja uma renda razoável. Quando comparada a 2013, não vamos ter uma perda significativa de patamar de renda em reais", disse o sócio-diretor da Agroconsult, André Pessôa, em conferência de imprensa.

Ele projeta que a soja caia para 12 a 12,5 dólares por bushel em Chicago nos próximos meses, com o avanço da colheita na América do Sul.

Nesta terça-feira, o primeiro contrato de Chicago fechou a 13,39 dólares por bushel.

"Confirmados esses números bastante elevados para a safra brasileira e para a safra argentina, a gente deve ter uma acomodação dos preços no mercado internacional", avaliou.

Os custos com insumos também pressionam os produtores nesta safra. A presença da lagarta exótica Helicoverpa armigera e um clima favorável para o fungo da ferrugem asiática têm obrigado os produtores a aumentarem o número de aplicações de defensivos.

Em Mato Grosso, por exemplo, os custos com defensivos saltaram 80 por cento, de 344 reais para 620 reais por hectare desde a última safra, segundo o Instituto de Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea).

Por outro lado, lembra André Pessôa, o câmbio deverá ajudar a elevar os preços da soja em reais, ao mesmo tempo que se colherá um maior volume por hectares.

A pesquisa Focus do Banco Central, com agentes do mercado, indica que o dólar deve registrar trajetória de alta ao longo de 2014, fechando o ano em 2,45 reais, contra 2,35 reais nesta terça-feira.   Continuação...