Lucro da Huawei salta com smartphones

quarta-feira, 15 de janeiro de 2014 11:08 BRST
 

PEQUIM, 15 Jan (Reuters) - A chinesa Huawei Technologies , mais conhecida por sua habilidade em redes de telecomunicação do que por seus smartphones, está começando a ver sucesso no negócio de eletrônicos para consumidores, embora permaneça desconhecida no importante mercado dos Estados Unidos.

O negócio de smartphones da Huawei, como o das rivais conterrâneas ZTE e Lenovo, se concentrou até agora na venda de aparelhos de baixo e médio custo em mercados emergentes.

As empresas ainda têm que ganhar uma fatia no segmento de ponta de mercados desenvolvidos, como o norte-americano, com margens maiores.

O nome da Huawei é virtualmente desconhecido - e impronunciável - nos Estados Unidos, segundo maior mercado de smartphones, onde legisladores denominaram equipamentos chineses de telecomunicações como responsáveis por potenciais riscos de segurança.

Dispositivos para consumidores responderam por 23 por cento da receita geral da Huawei no ano passado, ante 22 por cento em 2012. Isso ajudou a puxar a receita total não auditada da empresa para 238 bilhões a 240 bilhões de iuanes (39,73 bilhões de dólares), disse a vice-presidente financeira Cathy Meng, em coletiva de imprensa nesta quarta-feira.

A receita não auditada cresceu 8 por cento, ante uma meta de crescimento anual de 10 por cento para os próximos cinco anos, começando em 2013.

O lucro operacional não auditado cresceu para 28,6 bilhões a 29,4 bilhões de iuanes, disse a empresa, ante lucro operacional auditado de 19,96 bilhões de iuanes em 2012, o que representa um aumento de 43,3 por cento.

(Por Paul Carsten)

 
Roteador em exposição na sede da empresa Huawei, em Shenzhen, província de Guangdong, China, 16 de outubro de 2013. A chinesa Huawei Technologies , mais conhecida por sua habilidade em redes de telecomunicação do que por seus smartphones, está começando a ver sucesso no negócio de eletrônicos para consumidores, embora permaneça desconhecida no importante mercado dos Estados Unidos. 16/10/2013 REUTERS/Bobby Yip