ENTREVISTA-Bovespa terá oportunidades num 2014 volátil, diz Fator

quarta-feira, 15 de janeiro de 2014 20:54 BRST
 

Por Guillermo Parra-Bernal

SÃO PAULO, 15 Jan (Reuters) - O mercado acionário doméstico deve ter outro ano difícil em 2014, diante do cenário político com as eleições de outubro e da crescente aversão a risco dos investidores, que podem elevar a volatilidade, disse o chefe da Fator Administração de Recursos (FAR).

Diante disso, a gestora de ativos do Banco Fator vai fazer apostas selecionadas nos setores de infraestrutura, consumo não-discricionário e ações do setor financeiro, disse o diretor-geral da FAR, Fabio Moser, em entrevista à Reuters. O momento é propício para fazer apostas calculadas em papéis que oferecem retornos mais elevados, acrescentou.

Após uma queda de 30 por cento do Ibovespa em dólar no ano passado, as ações brasileiras "não estão baratas, mas algumas empresas estão", disse ele.

Atualmente, a Bovespa tem as maiores leituras de volatilidade de 30 dias entre a principais índices de ações nas Américas, mostraram dados da Thomson Reuters.

A incerteza do mercado provavelmente vai impedir que a indústria de gestão de ativos do Brasil, que administra o equivalente a cerca de 1 trilhão de dólares, acelere a alocação de mais dinheiro em ações, bem como private equity e fundos de investimento imobiliários, que oferecem retornos maiores do que tradicionais papéis públicos.

"Este vai ser um ano difícil para as ações, mas precisamos estar preparados para aproveitar todas as oportunidades de compra", disse Moser, ex-diretor de investimentos da Previ, fundo de pensão dos funcionários do Banco do Brasil. "Escolha ativa de ações e seletividade são necessárias neste momento."

Algumas empresas de médio porte se beneficiarão de uma abordagem seletiva, disse Moser, incluindo nomes atraentes como a fabricante de pastilhas de freio Fras-le e a indústria de fundição Tupy.

A FAR adminsitra 6,1 bilhões de reais em recursos de clientes- 70 por cento dos quais provenientes de fundos de pensão e seguradoras.   Continuação...