ENTREVISTA-Colômbia volta-se para o Golfo Pérsico na exportação de café

quinta-feira, 16 de janeiro de 2014 17:58 BRST
 

Por Peter Murphy

BOGOTÁ, 16 Jan (Reuters) - A Colômbia, grande produtor de cafés lavados da variedade arábica, de sabor mais suave, espera capturar novos negócios nos países do Golfo Pérsico e em outras regiões, como países da antiga União Soviética, à medida que suas exportações se recuperam depois de uma queda prolongada, disse o presidente da Federação Nacional dos Produtores de Café.

Recuperar participação de mercado é uma prioridade para a Colômbia depois que a produção se recuperou em 2013 após cinco anos de colheitas ruins, período no qual o país sul-americano perdeu negócios para o Brasil, o principal produtor global.

"A Colômbia vai buscar mercados especializados que pagam mais, que são mais dinâmicos", disse o chefe do grupo de cafeicultores, Luis Genaro Muñoz, à Reuters, citando Dubai e Kuweit como dois mercados alvos para o aumento das exportações.

A participação da Colômbia nas exportações mundiais de café foi de 6 por cento em 2012, abaixo dos 18 por cento de 1990, mostram os dados mais recentes da Organização Internacional do Café.

As exportações da Colômbia subiram 35 por cento em 2013, aumentando a sua fatia de mercado.

Países da ex-União Soviética, que aumentaram seu consumo de café, são outro alvo para mais exportações, bem como a Coreia do Sul, outra área importante de crescimento do consumo, disse ele.

Esses países têm mostrado um forte crescimento do consumo café de menor custo, o solúvel ou instantâneo, mas Muñoz disse que os consumidores em alguns mercados, muitas vezes, migram para bebidas especiais de maior valor com o tempo.

A produção de café da Colômbia em 2014 será similar ou ligeiramente melhor do que em 2013, segundo Muñoz, que acrescentou que era muito cedo para falar em estimativas.   Continuação...