CENÁRIOS-Preço do frete da soja deve subir 10% com grande safra e repasse do diesel

sexta-feira, 17 de janeiro de 2014 17:23 BRST
 

Por Gustavo Bonato

SÃO PAULO, 17 Jan (Reuters) - Os fretes agrícolas rodoviários no Brasil devem sofrer um reajuste da ordem de 10 por cento na safra 2013/14, que já começou a ser colhida, refletindo os reajustes do preço do óleo diesel no ano passado e a forte demanda por caminhões em ano de safra de grãos recorde.

A alta no custo com o transporte, que ocorrerá sobre os elevados patamares atingidos no ano passado, quando uma nova legislação trabalhista impôs limites à carga horária diária de caminhoneiros, é mais um desafio para o agronegócio, que lida com uma logística deficitária e fortemente baseada no modal rodoviário.

A Petrobras aprovou três reajustes para o diesel nas refinarias ao longo de 2013: 5,4 por cento em janeiro, 5 por cento em março e 8 por cento em novembro.

"Teve 15 por cento de aumento (nos postos) sobre uma fração muito importante do frete", disse Neuto Reis, diretor técnico da NTC&Logística, associação que reúne mais de 3 mil transportadoras do país.

O óleo diesel, segundo Reis, responde por até 40 por cento dos custos dos fretes de longa distância, como os que levam a produção de grãos do interior do país até os portos e indústrias.

O aumento do preço do frete deve refletir também a escassez de caminhões para atender a grande demanda durante a colheita da safra recorde.

A safra brasileira de soja --principal produto agrícola de exportação do país-- deverá crescer mais de 10 por cento este ano, passando de 90 milhões de toneladas.

"O grande problema é a disponibilidade de caminhões", disse a pesquisadora Natália Trombeta, da Esalq Log, braço de pesquisas sobre logística da conceituada Escola Superior de Agricultura, que estimou o reajuste médio do frete em 10 por cento.   Continuação...