Remédio da Roche para esquizofrenia não atinge objetivo em 2 estudos

terça-feira, 21 de janeiro de 2014 08:44 BRST
 

ZURIQUE, 21 Jan (Reuters) - Um remédio experimental da Roche concebido para tratar os "sintomas negativos" da esquizofrenia não conseguiu atingir seu principal objetivo em dois estudos de estágio avançado, o que representa um golpe às esperanças de pesquisa da farmacêutica suíça na arriscada área de neurociência.

Os resultados dos dois estudos de Fase III determinou que o bitopertin em combinação a terapia antipsicóticas não reduziu significativamente os sintomas negativos após 24 semanas de tratamento em comparação a placebos. Um terceiro estudo de estágio avançado está em curso.

Cerca de 26 milhões de pessoas sofrem de esquizofrenia no mundo, mas as opções atuais de tratamento para os sintomas negativos do distúrbio, incluindo falta de motivação, menor reatividade emocional e afastamento social, são limitados.

"Estes resultados são decepcionantes para pessoas com sintomas negativos pois são necessários tratamentos mais eficazes para estes efeitos debilitantes da esquizofrenia", disse Sandra Horning, vice-presidente médica e chefe global de desenvolvimento de produtos da Roche.

Os dados também são um golpe à Roche, que aumentou seu investimento em neurociência nos últimos anos conforme procura se diversificar além de sua principal especialidade em câncer. A empresa está hoje realizando estudos de estágio avançado sobre a doença de Alzheimer, esclerose múltipla e esquizofrenia.

A Roche está conduzindo três outros estudos de Fase III que investigam a bitopertin para sintomas controlados imperfeitamente, como alucinações e delírios.

A fabricante de medicamentos disse que aguardará os dados de seus outros estudos antes de decidir os próximos passos sobre o medicamento.

(Por Caroline Copley)