21 de Janeiro de 2014 / às 12:42 / em 4 anos

Financiamentos imobiliários batem recorde em 2013; setor vê alta de 15% em 2014

Por Marcela Ayres

SÃO PAULO, 21 Jan (Reuters) - Os financiamentos imobiliários no Brasil bateram recorde em 2013, avançando 32 por cento sobre o ano anterior, e a expectativa é de um crescimento de 15 por cento em 2014, divulgou nesta terça-feira a Abecip, associação que representa as entidades de crédito imobiliário e poupança.

O volume de empréstimos para a aquisição e construção de imóveis com recursos das cadernetas do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) somou 109,2 bilhões de reais no ano passado. Para 2014, a expectativa da associação é que os financiamentos cheguem a 126 bilhões de reais.

Em número de unidades, foram 529,8 mil imóveis financiados no acumulado de 2013, avanço de 17 por cento sobre o consolidado do ano anterior, indicando que boa parte do aumento no volume foi calcado na subida dos preços - algo como 40 por cento nas estimativas do presidente da Abecip, Octavio de Lazari Junior.

Em coletiva de imprensa, ele disse que os valores dos imóveis mudaram em função do perfil dos novos empreendimentos, com mais áreas de lazer, por exemplo. Ele também afirmou que houve incorporação do aumento dos custos.

“Descontado o INCC (Índice Nacional de Custo da Construção), os preços dos imóveis subiram 55 por cento nos últimos 10 anos, ou 3,7 por cento ao ano”, afirmou.

Descartando a existência de uma bolha no setor, ele reconheceu, por outro lado, que os preços continuarão em alta, mas “o ritmo do avanço não será acelerado”.

No mês de dezembro, somente, os financiamentos imobiliários cresceram 19 por cento em número de unidades e 17 por cento em recursos movimentados ante igual mês de 2012, a 50,9 mil unidades e 10,4 bilhões de reais.

ALAVANCAS

Em comunicado, a Abecip afirmou que a trajetória de recuperação do mercado imobiliário no país tornou-se “muito expressiva” a partir do segundo trimestre de 2013, depois de iniciar o ano com comportamento contido.

Lazari Junior lembrou que o ritmo de atividades superou as estimativas da entidade, que tinha projetado em meados do ano passado uma expansão anual de 15 a 20 por cento nos financiamentos imobiliários em 2013.

“As empresas de construção civil superaram a fase de ajustes do ano anterior”, disse Lazari Junior, observando que o crescimento geral dos financiamentos imobiliários em 2012 havia sido de apenas 3,6 por cento, ano caracterizado por “um freio de arrumação” por parte empresas do setor.

A busca dessas companhias por crédito imobiliário subiu 15 por cento em 2013, a 32,2 bilhões de reais, depois de ter caído 20 por cento em 2012, informou a Abecip.

Entre as pessoas físicas, o avanço foi de 41 por cento no ano, a 76,9 bilhões de reais, sustentado, segundo Lazari Junior, pela manutenção dos chamados “pilares do crescimento” - emprego, renda, baixa inadimplência, e confiança do consumidor -, a despeito da deterioração das expectativas macroeconômicas.

Para 2014, ele estimou que as duas categorias mostrarão aumento na procura por crédito imobiliário, mas com menor apetite: a expansão deverá ser de cerca de 30 por cento para mutuários, e de 10 a 12 por cento para as empresas.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below