BNDES aprova R$330 mi para indústria do setor de petróleo

terça-feira, 21 de janeiro de 2014 14:17 BRST
 

SÃO PAULO, 21 Jan (Reuters) - O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou financiamentos de 329,7 milhões de reais para dois projetos de investimento no setor de petróleo e gás no Paraná e no Rio de Janeiro, informou o banco em comunicado nesta segunda-feira.

Os projetos da Aker Solutions do Brasil, divisão do grupo norueguês de mesmo nome, terão os recursos do BNDES para implantar unidades de produção e manutenção de equipamentos para o setor de petróleo e gás.

Segundo a nota, os recursos do BNDES representarão 77,6 por cento do total a ser investido no Paraná e 82,4 por cento do montante previsto para o projeto no Rio de Janeiro.

A primeira operação, no valor de 200,4 milhões de reais, será destinada à implantação de uma fábrica de equipamentos submarinos em São José dos Pinhais, região metropolitana de Curitiba (PR).

A nova unidade produzirá sistemas e equipamentos submarinos, como árvores de natal molhadas e sistemas de amarração e carregamento, entre outros itens, destinados a clientes de Macaé, no Norte Fluminense.

"O projeto introduzirá tecnologias inéditas no país, tais como sistemas marítimos de controle para os equipamentos submarinos (subsea)", informou o banco em comunicado.

No outro projeto, em Macaé, os 129,3 milhões de reais do BNDES serão usados para ajudar na implantação de uma unidade industrial para produção e manutenção de equipamentos para perfuração de poços offshore.

Segundo o BNDES, esta será a primeira fábrica de equipamentos de perfuração de sondas offshore no Brasil.

Os pacotes de perfuração a serem fabricados no país representarão de 30 a 35 por cento do custo de um navio-sonda, permitindo que sejam cumpridas as exigências da Agência Nacional de Petróleo (ANP) em termos de produção doméstica, com a ampliação gradual do índice de conteúdo local das sondas encomendadas pela empresa Sete Brasil.

Na semana passada, o BNDES aprovou apoio financeiro de 10 bilhões de reais para a Sete Brasil para a construção de nove sondas de perfuração de poços de petróleo no pré-sal brasileiro.

(Por Fabíola Gomes)