22 de Janeiro de 2014 / às 19:03 / 4 anos atrás

Dólar fecha com alta de 0,47% ante o real, mesmo com BC

Por Bruno Federowski

SÃO PAULO, 22 Jan (Reuters) - O dólar fechou em leve alta nesta quarta-feira, após registrar pequenas variações durante a maior parte do dia, sustentando-se acima do patamar de 2,35 reais ao fim de uma sessão marcada por poucas notícias, apesar da constante atuação do Banco Central.

A moeda norte-americana subiu 0,47 por cento, a 2,3725 reais na venda, depois de bater 2,3549 reais na mínima do dia e 2,3773 reais na máxima. Segundo dados da BM&F, o giro financeiro ficou em torno de 2,1 bilhões de dólares.

"Hoje não foi um dia de grandes notícias e o dólar acabou tendo poucas oscilações", afirmou o gerente de câmbio da Treviso Corretora, Reginaldo Galhardo.

Investidores identificam o nível de 2,35 reais como importante piso de resistência, uma vez que ainda ajuda as exportações mas não é inflacionário. O dólar vem oscilando em torno desse patamar desde o início de dezembro.

Durante boa parte do pregão, a divisa dos Estados Unidos operou perto da estabilidade ante o real, sem eventos que pudessem motivar grandes apostas.

"O dólar está caminhando de lado, sem grandes notícias, em compasso de espera", resumiu o gerente de câmbio da corretora Advanced, Reginaldo Siaca.

O dólar fechou com leve alta nesta sessão mesmo com o BC dando continuidade às intervenções diárias, vendendo a oferta total de até 4 mil swaps cambiais tradicionais --equivalentes a venda futura de dólares. Foram 500 contratos com vencimento em 2 de maio, depois de ficar alguns dias sem vendê-los, e 3,5 mil swaps para 1º de setembro deste ano. A operação teve volume equivalente a 198 milhões de dólares.

Além disso, fez durante a manhã a quinta etapa da rolagem dos swaps que vencem em 3 de fevereiro, vendendo a oferta total de 25 mil contratos. Com isso, a autoridade monetária já rolou cerca de 55 por cento do lote total do próximo mês.

Investidores também continuaram sob a expectativa da próxima reunião do Federal Reserve, em 28 e 29 de janeiro, quando o banco central norte-americano pode anunciar mais um corte de 10 bilhões de dólares no programa de compras mensais de títulos, hoje em 75 bilhões de dólares. A decisão reduziria ainda mais a liquidez global.

A decisão reduziria ainda mais a liquidez global, sugerindo que o cenário de saídas de divisas do Brasil tenderia a continuar. Na semana passada, o fluxo cambial do país ficou negativo em 677 milhões de dólares, acumulando no mês déficit de 1,894 bilhão de dólares.

O mercado tinha, desde a semana passada, a expectativa de entrada de dólares no país após diversas empresas no país anunciarem captação de recursos no exterior.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below