Inflação mostra resistência maior, BC piora projeção para 2014--ata do Copom

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014 13:28 BRST
 

Por Patrícia Duarte

SÃO PAULO, 23 Jan (Reuters) - O Banco Central avaliou que a inflação tem mostrado uma resistência "ligeiramente acima" do que se esperava e piorou seu cenário para a alta dos preços neste ano, preparando o caminho para manter o atual ritmo de aperto monetário no curto prazo.

A ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), divulgada nesta quinta-feira, mostrou que o BC vê também em 2015 a inflação acima do centro da meta.

O BC voltou a reforçar que é "apropriada" a continuidade do ritmo de ajuste das condições monetárias "ora em curso", ponderando também que a transmissão dos efeitos das ações de política monetária ocorre com defasagens.

"O Copom pondera que a elevada variação dos índices de preços ao consumidor nos últimos doze meses contribui para que a inflação ainda mostre resistência, que, a propósito, tem se mostrado ligeiramente acima daquela que se antecipava", mostrou a ata.

Sob este cenário, o BC piorou suas projeções para a inflação em 2014 tanto no cenário de referência (Selic constante a 10 por cento e dólar a 2,40 reais) quanto no de mercado, permanecendo acima da meta do governo de 4,5 por cento pelo IPCA.

Em relação a 2015, também nos dois cenários, o Copom calculou a projeção de inflação acima do centro da meta. O objetivo oficial do governo é de 4,5 por cento, com margem de 2 pontos percentuais para mais ou menos.

Ainda de acordo com a ata, o Copom projeta estabilidade nos preços da gasolina para o acumulado de 2014.

"(A ata) esteve um pouquinho mais 'hawkish', apesar dela não mudar muito na percepção, deixou a porta bem aberta para subida de 0,50 ponto percentual (em fevereiro, quando o Copom se reúne novamente), mas dependendo de cenário econômico, afirmou o economista sênior do Espirito Santo Investment Bank, Flavio Serrano.   Continuação...

 
Consumidores compram ovos em um mercado em São Paulo. O Banco Central avaliou que a inflação tem mostrado uma resistência "ligeiramente acima" do que se esperava e piorou seu cenário para a alta dos preços neste ano, preparando o caminho para manter o atual ritmo de aperto monetário no curto prazo. 28/04/2013 BRAZIL-INFLATION/REUTERS/Paulo Whitaker