Petrobras devolve Bem-te-vi e amplia exploração em Carcará

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014 18:45 BRST
 

Por Sabrina Lorenzi

RIO DE JANEIRO, 23 Jan (Reuters) - A Petrobras abriu mão do prospecto de Bem-te-vi e ampliou a área de exploração da jazida vizinha Carcará, onde encontrou indícios de um campo gigante de petróleo, no pré-sal da bacia de Santos, de acordo com um documento da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) obtido pela Reuters.

A descoberta conhecida como Bem-te-vi, no bloco BM-S-8, o mesmo em que está Carcará, está sendo devolvida ao governo brasileiro para que a Petrobras e as sócias na concessão se concentrem ao máximo na exploração de Carcará, disse à Reuters uma fonte com conhecimento direto do assunto, confirmando o teor do documento.

A ANP aprovou a "ampliação da área de retenção de Carcará a partir da área de Bem-te-vi", no âmbito do Plano de Avaliação de Descoberta do bloco, segundo o documento. No mesmo texto da ANP foi decidida a devolução de Biguá, além de Bem-te-vi.

As três áreas do BM-S-8 integram o pré-sal, região petrolífera mais promissora do Brasil e uma das maiores fronteiras exploratórias do mundo.

"Foi descoberta uma área muito boa que é Carcará e seus esforços serão concentrados ali", disse à Reuters a fonte, sob condição de anonimato. "Bem-te-vi e Biguá não representam tanto para as empresas", acrescentou.

A Petrobras --que tem o maior plano de investimento corporativo do mundo, de 237 bilhões de dólares em cinco anos-- é a operadora do bloco com 66 por cento de participação. Os outros sócios são a Petrogal Brasil (14 por cento), da portuguesa Galp, a Barra Energia do Brasil (10 por cento) e a Queiroz Galvão Exploração e Produção, também com 10 por cento.

Procurada, a estatal brasileira não comentou o assunto.

Algumas partes do bloco sem descoberta já foram devolvidas nos últimos anos.   Continuação...