Lucro trimestral da Procter & Gamble cai; vendas têm leve alta

sexta-feira, 24 de janeiro de 2014 11:18 BRST
 

24 Jan (Reuters) - A Procter & Gamble, maior fabricante mundial de produtos de uso doméstico, divulgou um lucro trimestral menor nesta sexta-feira, prejudicada por câmbio desfavorável e menor margem de lucro bruto.

A fabricante das fraldas Pampers manteve sua previsão de crescimento de vendas em 2014 inalterada. A companhia espera que as vendas orgânicas, que desconsideram o impacto cambial e de aquisições e alienações, irão subir entre 3 a 4 por cento, com o lucro principal avançando 5 a 7 por cento.

A empresa teve lucro de 3,43 bilhões de dólares, ou 1,18 dólar por ação, no segundo trimestre fiscal encerrado em 31 de dezembro, abaixo dos 4,06 bilhões de dólares, ou 1,39 dólar por ação, um ano antes.

O lucro principal por ação, excluindo custos de reestruturação, caiu 1 por cento, para 1,21 dólar. Analistas esperavam 1,20 dólar por papel.

As vendas subiram 0,5 por cento, para 22,28 bilhões de dólares, em linha com a estimativa média de Wall Street, segundo a Thomson Reuters I/B/E/S. As vendas orgânicas subiram 3 por cento.

A divisão de beleza da empresa continuou enfrentando dificuldades, com vendas orgânicas inalteradas diante de recuo no segmento de cuidados com a pele. Já o segmento de saúde da P&G foi o que informou o crescimento mais rápido, subindo 5 por cento.

A margem de lucro bruto da P&G caiu 0,9 ponto percentual, apesar de menores custos de fabricação.

A rival de bens de consumo Kimberley Clark informou que as vendas orgânicas subiram 5 por cento, e previu que iriam crescer entre 3 a 5 por cento em 2014.

(Por Phil Wahba em Nova York)