Argentina afrouxa controles cambiais e corta imposto sobre compras de dólares

sexta-feira, 24 de janeiro de 2014 12:57 BRST
 

Por Alejandro Lifschitz e Walter Bianchi

BUENOS AIRES, 24 Jan (Reuters) - A Argentina decidiu nesta sexta-feira afrouxar os rígidos controles cambiais, um dia após o peso argentino ter sofrido a pior desvalorização diária em 12 anos.

A decisão é uma supreendente mudança de curso no país diante da sangria das reservas do banco central argentino.

O chefe de gabinete, Jorge Capitanich, disse que o país vai reduzir a alíquota do imposto sobre compras de dólares para 20 por cento ante os atuais 35 por cento e permitirá aquisições da moeda norte-americana para contas de poupança, medidas que entrarão em vigor na próxima segunda-feira.

"Esta decisão reflete a crença do governo de que, no contexto da política cambial de flutuação administrada, o governo conseidera que o preço da divisa, quer dizer o dólar, alcançou um nível de convergência aceitável para os objetivos da política econômica", disse a jornalistas Capitanich.

Apesar disso, os argentinos deverão continuar pedindo autorização antes de comprar divisas, o que pode ser utilizado pelo governo como um filtro para frear a demanda e evitar uma corrida pelo dólar.

"De acordo com a maneira como está o mercado hoje, é impossível que o governo ou o Banco Central liberem o controle cambial porque hoje a demanda por dólares supera amplamente a oferta e as reservas estão diminuindo", disse o ex-presidente do banco central argentino, Aldo Pignanelli.

Os dólares são escassos na Argentina por causa da fraqueza de suas exportações, do baixo nível de investimento externo devido à desconfiança quanto à economia e pela falta de acesso aos mercados de crédito internacionais após o enorme default em 2002.

O governo da presidente Cristina Kirchner havia imposto no fim de 2011 um duro controle cambial para frear uma fuga de capital.   Continuação...

 
Painel eletrônico com preços de moedas na vitrine de uma casa de câmbio, em Buenos Aires. A Argentina decidiu nesta sexta-feira afrouxar os rígidos controles cambiais, um dia após o peso argentino ter sofrido a pior desvalorização diária em 12 anos. 1/06/2012. REUTERS/Marcos Brindicci