Demanda instantânea de energia no país bate 3 recordes na semana

sexta-feira, 24 de janeiro de 2014 13:20 BRST
 

SÃO PAULO, 24 Jan (Reuters) - A demanda instantânea por energia no sistema elétrico brasileiro bateu o terceiro recorde seguido nesta semana, ao atingir 83.307 megawatts (MW) de carga às 15h24 da quinta-feira, impulsionada pelas altas temperaturas no país.

O recorde anterior tinha ocorrido no quarta-feira, quando a carga atingiu 82.306 MW às 15h30, informou o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) nesta sexta-feira. Na terça-feira, a demanda instantânea de energia no sistema já tinha batido recorde anterior, chegando a 81.591 MW às 15h21.

A região Sul, separadamente, também registrou três recordes consecutivos de demanda instantânea de energia nesta semana, sendo que na quinta-feira, a carga chegou a 17.315 MW, às 14h19.

"As temperaturas altas nessa região e no país, principalmente nas capitais do Sul, Sudeste e Centro-Oeste do Brasil, foram o motivo desse aumento na carga, bem como o reinício da atividade produtiva brasileira", informou o ONS no Boletim de Carga Especial publicado em seu site.

Os recordes de demanda de energia instantânea ocorrem num momento de altas temperaturas na maioria das regiões do país, o que motiva o uso de equipamentos de refrigeração, e enquanto os reservatórios das hidrelétricas ainda estão em níveis baixos e a maioria das térmicas está acionada.

O ONS ainda deve divulgar nesta sexta-feira indicações sobre custo marginal de operação do sistema para a próxima semana e previsões de chuva. E a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) deve divulgar até o fim do dia o Preço de Liquidação de Diferenças (PLD) para a próxima semana.

(Por Anna Flávia Rochas; Edição de Aluísio Alves)

 
Um funcionário anda pela usina hidrelétrica de Furnas, em Minas Gerais. A demanda instantânea por energia no sistema elétrico brasileiro bateu o terceiro recorde seguido nesta semana, ao atingir 83.307 megawatts (MW) de carga às 15h24 da quinta-feira, impulsionada pelas altas temperaturas no país. 14/01/2013 REUTERS/Paulo Whitaker