ENTREVISTA-É preciso reduzir estímulos monetários mesmo com mercados voláteis, diz BIS

sexta-feira, 24 de janeiro de 2014 13:57 BRST
 

Por Paul Carrel e Alexander Smith

DAVOS, Suíça, 24 Jan (Reuters) - Países em todo o mundo precisam reduzir as políticas monetárias expansionistas e colocar mais ênfase na reforma e no reparo de suas economias, afirmou à Reuters o diretor-geral do Banco de Compensações Internacionais (BIS, na sigla em inglês), Jaime Caruana.

Caruana disse que a perspectiva para a economia global melhorou e as autoridades devem aproveitar a oportunidade para moldar suas economias e aumentar a produtividade.

"Precisamos continuar a normalizar a política monetária e dar mais atenção ao outro lado da equação política, ou seja, reformas e reparos", afirmou Caruana em entrevista durante o Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça.

As economias avançadas "estão em uma situação melhor" e os mercados emergentes continuarão a crescer, ele disse, "embora talvez não com o mesmo dinamismo, como nos últimos anos".

"É um cenário melhor", disse ele sobre a economia global. "Acho que esses ventos favoráveis que parecemos ter poderiam ser usados para avançar no que acreditamos ser os elementos fundamentais para alcançar um crescimento sustentável e equilibrado: reformas e reparos."

Ele pediu reformas estruturais e reparos nos balanços de banco.

A decisão em dezembro do Federal Reserve, banco central dos Estados Unidos, de reduzir o estímulo monetário vai dominar a desenrolar das políticas monetárias expansionistas em todo o mundo este ano. Os primeiros sinais do Fed em maio do ano passado de que iria reduzir o programa de compra de ativos levou muitos investidores a retirar recursos dos mercados emergentes, vistos como mais arriscados.

Uma nova onda de retirada de recursos de mercados emergentes ocorria nesta sexta-feira, o que levou a lira turca a registrar a mínima recorde e colocou as ações globais no curso da pior semana neste ano.

 
Jaime Caruana fala à Reuters durante uma entrevista na sede do BIS em Basileia. Países em todo o mundo precisam reduzir as políticas monetárias expansionistas e colocar mais ênfase na reforma e no reparo de suas economias, afirmou Caruana, o diretor-geral do Banco de Compensações Internacionais (BIS, na sigla em inglês), à Reuters. 25/06/2013 REUTERS/Ruben Sprich