Em Davos, Dilma apresenta Brasil como "fronteira de negócios"

sexta-feira, 24 de janeiro de 2014 14:16 BRST
 

24 Jan (Reuters) - A presidente Dilma Rousseff fez sua estreia no Fórum Econômico Mundial, em Davos, com um discurso de mais de meia hora em que apresentou o Brasil como "uma das mais amplas fronteiras de oportunidades de negócios" e como um país comprometido com a solidez dos fundamentos macroecônomicos.

Veja abaixo as principais declarações da presidente no Fórum Econômico Mundial em Davos.

INVESTIMENTO EXTERNO

"O Brasil está pronto, está empenhado também nas negociações do Mercosul com a União Europeia para um acordo comercial. Volto a dizer que um novo ciclo de crescimento econômico mundial está em gestação.

À medida que a crise vai se dissipando, um olhar mais atento sobre os países emergentes ganhará fôlego.

Como estratégia de longo prazo focada na promoção dos investimentos, na educação e no aumento da produtividade, esperamos sair ainda melhor dessa crise internacional. O Brasil é hoje uma das mais amplas fronteiras de oportunidades de negócios.

Nosso sucesso nos próximos anos estará associado à parceria com os investidores do Brasil e de todo mundo. Sempre recebemos bem o investimento externo. Meu governo adotou medidas para estreitar ainda mais essa relação. Aspectos da conjuntura recente não devem obscurecer essa realidade.

Como eu disse aqui, o Brasil mais que precisa e mais do quer a parceria com o investimento nacional e externo. O Brasil convida a todos a ela."

SAÍDA DA CRISE   Continuação...

 
A presidente Dilma Rousseff fala durante uma sessão no Fórum Econômico Mundial em Davos. Dilma fez sua estreia no Fórum Econômico Mundial com um discurso de mais de meia hora em que apresentou o Brasil como "uma das mais amplas fronteiras de oportunidades de negócios" e como um país comprometido com a solidez dos fundamentos macroecônomicos. 24/01/2014 REUTERS/Denis Balibouse