Lojas Renner quer crescer rede em 2014 perto do ritmo de 2013

sexta-feira, 24 de janeiro de 2014 16:45 BRST
 

Por Marcela Ayres

SÃO PAULO (Reuters) - A varejista de moda Lojas Renner deverá apresentar um plano de expansão de sua rede de lojas em 2014 semelhante ao do ano passado, afirmou o diretor financeiro e administrativo da companhia, Laurence Beltrão Gomes, acrescentando que os investimentos deste ano focarão as áreas de infraestrutura e logística.

No fim de outubro, a companhia havia elevado o número de inaugurações previstas para 2013 de 25 para 29 lojas Renner, mantendo a expectativa de 12 unidades adicionais da Youcom, além de mais 6 lojas Camicado.

Em entrevista à Reuters, Gomes disse que a proposta de redução no lucro distribuído a acionistas apresentada na véspera visa justamente dar suporte ao plano de investimentos. Não há previsão se a política será mantida, já que os percentuais são decididos anualmente, afirmou.

Apesar de reconhecer que "previsões mostram um cenário de atividade econômica mais lenta" este ano, ele negou que os juros mais altos e o cenário macroeconômico tenham motivado a proposta de redução do nível de remuneração paga aos acionistas de 75 para 40 por cento dos resultados de 2013.

Às 16h40, as ações da companhia caíam cerca de 2 por cento, a 57,39 reais, momento em que o Ibovespa perdia 1,2 por cento, com analistas vendo um horizonte mais desafiador para o setor.

"Acreditamos que a proposta de redução ... acarretaria queda de aproximadamente 40 por cento no dividend yield (retorno em dividendos), o que deve impactar negativamente as ações da Renner", escreveu a Um Investimentos em nota a clientes.

A Votorantim Corretora pontuou em relatório que a decisão também poderia estar relacionada "a uma expectativa de um ambiente de mercado mais desafiador neste ano, ou pelo menos um nível de confiança mais baixo sobre o que esperar da dinâmica do varejo". Para a equipe do analista Luiz Cesta, o aumento da taxa básica de juros pode ter tornado a empresa mais conservadora ao distribuir proventos.

O mesmo argumento foi lembrado pela XP Investimentos, que disse em relatório que a subida da Selic é motivo para ceticismo com o setor.   Continuação...