24 de Janeiro de 2014 / às 20:04 / em 4 anos

EXCLUSIVO-Regulador global vai investigar referenciais de taxa de câmbio

Por Douwe Miedema

WASHINGTON, 24 Jan (Reuters) - O Conselho de Estabilidade Financeira (FSB, na sigla em inglês), que coordena a regulação das 20 principais economias do mundo, disse nesta sexta-feira que vai analisar taxas de referência utilizadas no mercado de câmbio.

Trata-se de um primeiro sinal de que o mercado que em grande parte não é regulamentado pode ter mais rédeas após alegações de manipulação.

O FSB já está trabalhando em cima de uma reforma em taxas de juros interbancárias depois do escândalo de fraude com a Libor.

“O FSB está em processo de definir o trabalho do que irá fazer com as questões envolvendo as referências de mercado de câmbio”, afirmou à Reuters por e-mail a agência reguladora com sede na Suíça.

O órgão regulador britânico do setor financeiro e o Departamento de Justiça dos Estados Unidos investigam denúncias de que operadores de alguns dos maiores bancos do mundo teriam manipulado o mercado de câmbio, que movimenta 5,3 trilhões de dólares por dia.

A investigação em cima da Libor mostrou quão fácil é manipular uma taxa de referência e resultou em multas pesadas para bancos como UBS e Barclays.

A expectativa é que o FSB anuncie os detalhes da investigação sobre o mercado de câmbio “muito em breve”, disse uma fonte familiarizada com a situação, mas o órgão ainda não decidiu quem será o responsável pela investigação ou a forma como o trabalho se desenvolverá.

“Isso é algo para o FSB decidir. E eles delegam a quem sentirem que é apropriado”, disse a fonte, que pediu para não ser identificada.

Na investigação sobre o mercado de câmbio, grupos de operadores são acusados ​​de ter compartilhado informações sensíveis ao mercado e relevantes ao popularmente conhecido como a taxa WM/Reuters, ou taxa Londres, que é fixada às 16h no horário da capital inglesa.

A taxa WM/Reuters é compilada com dados da Thomson Reuters e outras provedores e é calculada pela WM, unidade da State Street Corp

A Thomson Reuters é a controladora da Reuters News, que não está envolvida no processo de fixação da taxa.

Em um esforço para evitar mais análises de autoridades, bancos com fortes operações cambiais como Citi, Deutsche Bank e JPMorgan, além de outros, impediram o uso de salas de bate-papo que eram amplamente usadas por esses operadores.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below