Polícia tailandesa acredita em suicídio de executivo da Tata Motors

segunda-feira, 27 de janeiro de 2014 13:33 BRST
 

BANGCOC/MUMBAI, 27 Jan (Reuters) - O diretor-gerente da indiana Tata Motors, Karl Slym, morreu depois de cair do quarto de um hotel em Bangcoc, em um possível suicídio, disse a polícia nesta segunda-feira.

Slym, cidadão britânico de 51 anos, participou de uma reunião do Conselho da unidade tailandesa da Tata na capital do país, onde estava hospedado com sua esposa no vigésimo segundo andar do hotel.

Os funcionários do hotel encontraram seu corpo no último domingo, no quarto andar, que se projeta para fora dos pisos inferiores.

"Não encontramos sinais de luta... Encontramos uma janela aberta, tão pequena que não seria possível ele ter escorregado... Acreditamos que ele tenha pulado", disse à Reuters o tenente da polícia Somyot Boonyakaew, que conduz a investigação.

Boonyakaew disse que a polícia encontrou uma nota de três páginas escrita em inglês para Slym por sua esposa, que está sendo traduzida para o tailandês. Uma autópsia do corpo de Slym foi feita nesta segunda-feira, disse a polícia, sem dar detalhes.

Slym foi contratado em 2012 para revitalizar as vendas e aumentar a participação de mercado da Tata Motors-- sexta maior montadora do mundo por vendas unitárias-- na Índia. A montadora faz parte do conglomerado Tata, que tem atuação em áreas que vão desde software a aço.

Slym liderou as operações da montadora na Índia e mercados internacionais, incluindo a Coreia do Sul, Tailândia e África do Sul, mas não era responsável pela unidade de luxo Jaguar e Land Rover (JLR) que a Tata Motors adquiriu em 2008.

(Reportagem de Amy Sawitta Lefevre e Aradhana Aravindan)