Shell vai negociar com PPSA reserva que extrapola para área da União

segunda-feira, 27 de janeiro de 2014 16:35 BRST
 

Por Sabrina Lorenzi

RIO DE JANEIRO, 27 Jan (Reuters) - A anglo-holandesa Shell vai negociar com a estatal Pré-Sal Petróleo SA (PPSA) os limites de exploração de uma reserva encontrada na área nobre da Bacia de Santos, mostra um documento da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Um reservatório de petróleo encontrado pela Shell no bloco BM-S-54 extrapola os limites de concessão para uma área não licitada, sob o domínio da União, confirmou a Shell nesta segunda-feira ao ser procurada pela Reuters, sem dar mais detalhes sobre a negociação.

O bloco, operado pela Shell em parceria com a francesa Total em uma das províncias petrolíferas mais promissoras do mundo, tem descobertas realizadas desde 2010. A Shell possui 80 por cento da área, enquanto a Total possui os 20 por cento restantes.

Devido à extensão do reservatório da Shell para uma área da União na região considerada estratégica pelo governo, a agência determinou que a petroleira e a PPSA iniciem "tratativas com vistas a Pré-Acordo e Acordo de Individualização da Produção da acumulação Gato do Mato (PAD do poço 1-SHEL-23-RJS, BM-S-54)".

"A Shell poderá pedir autorização para utilizar o reservatório todo, compartilhando a produção com a PPSA (proporcionalmente), que também é dona de uma parte dessa jazida", afirmou uma fonte com conhecimento direto do assunto.

Com o acordo, o governo evita que o consórcio liderado pela Shell extraia um petróleo que não é dela sem pagar por isso.

Será o primeiro processo de unitização ou individualização da produção que envolve a cobertura da PPSA, responsável pela área não licitada do cluster de Santos, lembrou a fonte.

A PPSA foi criada pelo governo para gerir as áreas do pré-sal, com poder de veto nas operações das petroleiras que atuarem na região.   Continuação...