Wall St sobe com Pfizer e Fed; Apple despenca

terça-feira, 28 de janeiro de 2014 20:24 BRST
 

Por Caroline Valetkevitch

NOVA YORK, 28 Jan (Reuters) - As ações dos Estados Unidos recuperaram-se nesta terça-feira após o S&P 500 acumular três sessões de queda, ajudadas por bons resultados da Pfizer e com os investidores focando na decisão do Federal Reserve sobre o programa de estímulo monetário, que será conhecida na quarta-feira.

O Dow Jones subiu 0,57 por cento, para 15.928 pontos, o S&P 500 avançou 0,61 por cento, para 1.792 pontos, e o Nasdaq fechou em alta 0,35 por cento, a 4.097 pontos, segundo dados preliminares.

A Apple ficou na contramão do mercado, ao recuar de 8 por cento, a 506,5 dólares, após a divulgação de vendas abaixo das expectativas de iPhones no período de festas do fim do ano. Foi a maior queda da ação em um ano e limitou os desempenhos do S&P 500 e do Nasdaq.

Já os papéis da Pfizer impulsionaram tanto o Dow quanto o S&P 500, após a maior fabricante de remédios dos EUA ter tido resultado acima do esperado no quarto trimestre. As ações subiram 2,6 por cento, para 30,42 dólares.

O mercado subiu, encerrando uma sequência de cinco quedas seguidas no Dow, após ter caído com força por conta de preocupações com a redução no ritmo do programa de estímulo monetário dos EUA e com os mercados emergentes, incluindo desaceleração da China e turbulências políticas na Turquia e na Tailândia. Na semana passada, o S&P 500 teve o pior desempenho desde junho de 2012.

"É um rali de reflexo. Como estava fortemente sobrevendido, havia espaço para uma pequena recuperação", afirmou o estrategista-chefe de mercado da D.A. Davidson & Co., Fred Dickson.

O aumento da confiança do consumidor dos EUA em janeiro foi o dado positivo do dia. Já as encomendas de bens duráveis manufaturados tiveram queda inesperada em dezembro, assim como um termômetro dos planos de gastos empresariais, lançando uma sombra sobre a perspectiva econômica otimista.

Os dados foram divulgados antes da conclusão da reunião do Federal Reserve. Investidores estão ansiosos para saber se o Fed vai reduzir novamente o programa de compra de ativos em 10 bilhões de dólares.