29 de Janeiro de 2014 / às 14:07 / 4 anos atrás

Vendas de supermercados no Brasil sobem 5,36% em 2013, diz Abras

Uma consumidora olha preços em um supermercado em São Paulo. As vendas reais dos supermercados no Brasil superaram previsões iniciais e cresceram 5,36 por cento em 2013, divulgou a associação que representa o setor, Abras, nesta quarta-feira, estimando que o avanço em 2014 será de cerca de 3 por cento. 10/01/2014Nacho Doce

Por Marcela Ayres

SÃO PAULO, 29 Jan (Reuters) - As vendas reais dos supermercados no Brasil superaram previsões iniciais e cresceram 5,36 por cento em 2013, divulgou a associação que representa o setor, Abras, nesta quarta-feira, estimando que o avanço em 2014 será de cerca de 3 por cento.

A Abras começou o ano passado prevendo aumento de 3,5 por cento das vendas anuais, expectativa que foi elevada até chegar a 5,2 por cento em novembro.

Em dezembro, apenas, as vendas dos supermercados tiveram um avanço de 2,87 por cento ante igual mês de 2012, subindo 20,62 por cento sobre novembro.

O presidente do conselho consultivo da Abras, Sussumu Honda, afirmou em coletiva de imprensa que as vendas de 2013 foram positivamente afetadas pela desoneração fiscal sobre produtos da cesta básica e das carnes, e pela desaceleração da inflação no segundo semestre.

"O impacto da desoneração já foi", disse Honda, avaliando que, diante de uma base de comparação forte, o crescimento das vendas deve mostrar um ritmo mais fraco em 2014.

Ele ressalvou, porém, que o comércio durante a Copa do Mundo poderá impulsionar o resultado anual, fator não levado em conta nas estimativas da Abras. Honda adicionou que a entidade vê um 2014 semelhante ao ano passado em termos macroeconômicos, com baixo crescimento do PIB e manutenção das taxas de emprego.

PREÇOS

A cesta AbrasMercado, com 35 produtos de amplo consumo pesquisados pela GfK, encerrou o ano com preço médio de 360,35 reais, alta de 5,43 por cento na comparação com dezembro de 2012 e de 0,14 por cento ante novembro.

Os itens que mais subiram em relação a novembro foram cebola (+8,29 por cento), tomate (+7,07 por cento) e farinha de mandioca (+4,16 por cento). As maiores quedas, por outro lado, foram do leite longa vida (-7,01 por cento), batata (-3,49 por cento) e feijão (-2,86 por cento).

Em volume, o aumento de produtos vendidos nos supermercados brasileiros foi de 0,8 por cento em 2013, segundo dados da Nielsen também divulgados nesta quarta pela Abras.

O gerente de atendimento da Nielsen, Fábio Gomes, disse que houve um desempenho modesto, mas de crescimento em todas as categorias analisadas, com exceção de bebidas alcoólicas e não alcoólicas, cujo volume vendido caiu 1,8 e 1,9 por cento no ano, respectivamente.

Sem mencionar percentuais, ele afirmou que expectativa é que o resultado de 2014 supere o do ano passado, com um verão mais quente e a realização da Copa ajudando na recuperação das vendas de refrigerantes e bebidas.

Esses produtos tiveram maior contribuição negativa para o volume vendido nos supermercados em 2013: o volume de refrigerantes recuou 4,3 por cento no ano, enquanto o de cervejas teve queda de 1,9 por cento.

Em relação ao tipo de supermercado, o número de produtos comercializados subiu 3,1 por cento no ano em estabelecimentos menores, com até quatro caixas, ao passo que nos supermercados maiores, com mais de 20 caixas, houve recuo de 2,6 por cento.

Segundo Gomes, a diferença reflete o controle de gastos por parte do consumidor, que opta pelas compras de reposição em estabelecimentos menores e mais próximos, uma tendência que deve seguir em 2014.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below