ENTREVISTA-Marubeni se volta para o Brasil após comprar Gavilon

quarta-feira, 29 de janeiro de 2014 16:56 BRST
 

Por Caroline Stauffer

SÃO PAULO, 29 Jan (Reuters) - A Marubeni Corp vai confiar no Brasil para reforçar suas vendas internacionais de grãos, enquanto mantém esforços para impulsionar suas exportações após a compra dos ativos agrícolas da norte-americana Gavilon, disse um executivo da empresa.

William Gallo, presidente da Grãos da Marubeni America, disse que a trading japonesa vende cerca de 25 milhões de toneladas de grãos em todo o mundo por ano, e que em 2013 a empresa comprou 10 milhões de toneladas de soja do Brasil e 1,5 milhão de toneladas de milho, em negócios de exportações e importações.

O total negociado de soja brasileira representa quase um quarto do volume da oleaginosa exportada pelo Brasil em 2013, o ano em que o país se tornou o maior exportador global, e também mostra um crescimento expressivo ante os 8 milhões de toneladas que a Marubeni comprou do produto do Brasil em 2012.

A dependência da empresa do Brasil pode aumentar nos próximos anos, após a Marubeni investir 200 milhões de reais (82,6 milhões de dólares) para duplicar a atual capacidade portuária de 3,95 milhões de toneladas do Porto de São Francisco do Sul.

A empresa, líder nas importações de soja brasileira, também está buscando novas oportunidades de negócios com uma nova rota de escoamento pelo Nordeste do Brasil.

"No momento estamos muito focados no Brasil", disse Gallo em entrevista por telefone. "O Brasil é o único país que tem a capacidade de produzir mais e entregar mais grãos para atender à demanda mundial que vemos, no sudeste da Ásia e em todo lugar. Ele é melhor do que qualquer outra alternativa."

Gallo se recusou a dizer quanto os negócios de grãos e fertilizantes da Gavilon, em aquisição avaliada de 2,7 bilhões de dólares, concluída em julho, ajudarão a companhia a impulsionar suas exportações. Mas ele ressaltou que grande parte destas operações são voltadas à demanda do mercado norte-americano.

ALTERNATIVA NO BRASIL   Continuação...