De olho no Fed e testando BC brasileiro, dólar sobe 0,3% e caminha para R$2,45

quarta-feira, 29 de janeiro de 2014 17:18 BRST
 

Por Bruno Federowski

SÃO PAULO, 29 Jan (Reuters) - O dólar fechou em alta nesta quarta-feira pelo terceiro dia seguido, a caminho do patamar de 2,45 reais, com investidores sob a expectativa com o Federal Reserve, banco central norte-americano, e também testando até que ponto o BC brasileiro permitirá o fortalecimento da divisa norte-americana.

O dólar avançou 0,30 por cento, a 2,4338 reais na venda, mas chegou a bater 2,4509 reais na máxima do dia, com alta de pouco mais de 1 por cento. Segundo dados da BM&F, o giro financeiro ficou em torno de 1,5 bilhão de dólares.

O patamar de 2,45 reais não era atingido no intradia desde agosto e alimentava expectativas de que a autoridade monetária possa atuar mais forte no câmbio para evitar mais altas do dólar, a fim de retirar pressão inflacionária.

"Com as notícias fracas que vêm vindo sobre o cenário interno e somando a ansiedade com o Fed, o pessoal já se prepara para o pior cenário", afirmou o gerente de câmbio da corretora Treviso, Reginaldo Galhardo.

"Além disso, o pessoal especula sobre em que momento o BC vai intervir (mais) para conter a alta do dólar", acrescentou.

O mercado trabalhou o dia todo sob ampla expectativa de que o Fed faria nesta quarta-feira novo corte de 10 bilhões de dólares em seus estímulos mensais, a 65 bilhões de dólares, o que reduz ainda mais a oferta global de liquidez.

Logo após o fechamento do mercado de câmbio, o banco central norte-americano anunciou exatamente isso e continuou com seu plano de manter os juros baixos por algum tempo.

A decisão vem num momento de persistentes preocupações com a situação econômica brasileira e constante mau humor com mercados emergentes.   Continuação...