Wall St fecha em queda superior a 1% após banco central dos EUA cortar estímulo

quarta-feira, 29 de janeiro de 2014 20:13 BRST
 

Por Caroline Valetkevitch

NOVA YORK, 29 Jan (Reuters) - As ações dos Estados Unidos recuaram mais de 1 por cento nesta quarta-feira, atingindo as mínimas da sessão após o Federal Reserve manter o plano de reduzir gradualmente o seu programa de compra de ativos, mesmo diante das turbulências nos mercados emergentes.

O índice Dow Jones caiu 1,19 por cento, para 15.738 pontos, o S&P 500 recuou 1,02 por cento, para 1.774 pontos, e o Nasdaq perdeu 1,14 por cento, a 4.051 pontos.

A volatilidade deu a tônica ao mercado após o Fed anunciar uma nova redução de 10 bilhões de dólares em seu programa de compra mensal de ativos. A queda no mercado acionário foi praticamente generalizada, com nove dos dez índices setoriais do S&P 500 fechando em queda. As ações da Boeing Co ficaram entre as maiores quedas do dia e arrastaram tanto o Dow quanto o S&P 500.

A melhora de desempenho da economia dos EUA sinalizava que o banco central norte-americano continuaria a cortar o programa de compra de ativos, também chamado de quantitative easing (QE, na sigla em inglês). Alguns investidores, no entanto, especularam nos últimos dias que o Fed poderia reavaliar o plano diante das turbulências nos mercados emergentes.

"Acho que os investidores esperavam que o Fed de alguma forma respondesse à recente turbulência e mostrasse que iria ampará-los", disse o vice-presidente de investimentos da BMO Private Bank, Jack Ablin.

Em seu anúncio, o Fed disse que vai comprar 65 bilhões de dólares em ativos por mês a partir de fevereiro, ante os 75 bilhões de dólares atuais. Nesta, que foi a última reunião de definição de política do chairman Ben Bernanke, o banco central reiterou a promessa de manter as taxas de juros baixas por um bom tempo.