Shell e PPSA já negociam sobre reserva que extrapola concessão

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014 14:30 BRST
 

Por Sabrina Lorenzi

RIO DE JANEIRO, 30 Jan (Reuters) - A Shell e a estatal Pré-Sal Petróleo SA (PPSA) já iniciaram conversas para um acordo que permitirá à multinacional explorar uma reserva de petróleo que extrapola sua concessão para a área da União, afirmou nesta quinta-feira o presidente da PPSA, Oswaldo Pedrosa.

A Reuters antecipou que a descoberta de Gato do Mato, no bloco BM-S-54, localizado no pré-sal da Bacia de Santos, estende-se para uma área não licitada sob os cuidados da PPSA, empresa criada para gerir a região do pré-sal.

O bloco, operado pela Shell em parceria com a francesa Total em uma das províncias petrolíferas mais promissoras do mundo, tem descobertas realizadas desde 2010. A Shell possui 80 por cento da área, enquanto a Total possui os 20 por cento restantes.

"O acordo de individualização da área prevê que o reservatório seja único, com um único operador... Se houver um acordo, o operador poderá ser a Shell", afirmou Pedrosa a jornalistas, após palestrar na Organização Nacional da Indústria do Petróleo e Gás (Onip).

Com o acordo, o governo evita que o consórcio liderado pela Shell extraia um petróleo que não é dela sem pagar por isso.

Um acordo permitirá à Shell perfurar, inclusive, na área não licitada pertencente à União para encontrar a melhor maneira de explorar o reservatório, confirmou ele.

Licitar a reserva novamente ou repassá-la para a Petrobras são outras alternativas previstas em lei em casos em que uma jazida no pré-sal sob concessão se conecta com outra nos limites da União, explicou ele.

Mas essas alternativas só deverão ser pensadas se não houver um acordo entre a Shell e a PPSA, ponderou Pedrosa, ao ser indagado sobre o potencial imbróglio jurídico que seria para o governo se tomasse uma área da Shell.   Continuação...