Desemprego no Brasil cai a 4,3% em 2013, novo recorde, e renda tem menor alta em 8 anos

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014 13:14 BRST
 

Por Rodrigo Viga Gaier

RIO DE JANEIRO, 30 Jan (Reuters) - O desemprego brasileiro recuou a 4,3 por cento em dezembro, fechando 2013 com taxa média de 5,4 por cento, menores níveis históricos, mas com o mercado de trabalho brasileiro mostrando melhoras tímidas quando outras variáveis são abertas.

Segundo a Pesquisa Mensal de Emprego (PME) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgada nesta quinta-feira, em novembro, o desemprego já havia recuado a 4,6 por cento, quando igualou a mínima histórica até então registrada em dezembro de 2012.

Pesquisa da Reuters mostrou que, pela mediana das previsões, a taxa cairia a 4,3 por cento no mês passado.

No ano passado, o aumento da inatividade --pessoas fora da força de trabalho e que não procuraram emprego-- ajudou a empurrar para baixo a taxa média de desemprego. Os inativos cresceram 1,6 por cento, acima da população em idade ativa, que aumentou 1 por cento em relação a 2012.

"Com menos procura, houve menos pressão sobre o mercado de trabalho", explicou a economista do IBGE, Adriana Berenguy.

Ainda segundo o IBGE, em dezembro o rendimento foi a 1.966,90 reais, queda real de 0,7 por cento sobre novembro mas, em comparação com dezembro de 2012, houve alta de 3,2 por cento.

Em 2013 fechado, a média anual do redimento subiu 1,8 por cento, menor avanço desde 2005, quando ficou em 1,5 por cento. A inflação alta e o mercado menos aquecido podem explicar a pisada no freio.

"Provavelmente o crescimento da inflação atingiu o rendimento real do empregado e pode ser uma menor de barganha de negociação do trabalhador com uma economia menos aquecida", afirmou Adriana.   Continuação...