30 de Janeiro de 2014 / às 20:00 / 4 anos atrás

Bovespa fecha no menor nível desde julho, sob peso de Petrobras e Vale

Por Priscila Jordão

SÃO PAULO, 30 Jan (Reuters) - Após um dia de grande volatilidade, a Bovespa encerrou esta quinta-feira no menor nível em mais de seis meses, arrastada pelas ações da Vale e Petrobras e com investidores repercutindo indicadores econômicos dos Estados Unidos.

O Ibovespa recuou 0,66 por cento, a 47.244 pontos, seu menor patamar desde 16 de julho de 2013. O giro financeiro do pregão somou 5,8 bilhões de reais.

As duas blue chips da bolsa foram as maiores pressões negativas sobre o índice, com a preferencial da Petrobras chegando a cair mais de 1 por cento na mínima, depois que o secretário do Tesouro Nacional, Arno Augustin, afirmou que o governo fará neste ano a revisão do contrato de cessão onerosa com a estatal.

Na véspera, a ação da Petrobras já havia fechado no menor patamar desde o fim de 2008, a 14,80 reais.

A Vale também recuou, devolvendo parte da alta da véspera. As ações da empresa haviam avançado devido à recente valorização do dólar ante o real, que tende a favorecer companhias de perfil exportador, e ao sucesso na demanda pela emissão de debêntures da companhia.

“Ontem ela (a preferencial da Vale) subiu mais de 3 por cento, mas nada mudou para a empresa. Ela só vai subir com consistência se houver notícias positivas sobre a China e o minério (de ferro)”, disse o gerente de renda variável da H.Commcor, Ariovaldo Santos.

O Ibovespa teve um dia de intensa de volatilidade. O índice operou no vermelho durante parte da manhã, refletindo dados fracos da China e após o banco central norte-americano ter reduzido seu programa de estímulos.

Contudo, passou a subir após a divulgação do Produto Interno Bruto (PIB) dos EUA no quarto trimestre, que cresceu em ritmo anual de 3,2 por cento, em linha com as expectativas, e diante da abertura das bolsas norte-americanas no azul.

Na máxima, o Ibovespa registrou valorização de 1 por cento.

A queda dos papéis da Vale e a divulgação de que as vendas pendentes de moradias norte-americanas caíram 8,7 por cento em dezembro, levaram o índice para o território negativo. O índice ainda ensaiou uma recuperação antes de fechar em queda.

“Hoje, 90 por cento da bolsa é giro, operações de gente que não compra para carregar posição. Qualquer coisa que acontece e é considerada ruim faz todo mundo sair vendendo, quando é boa faz sair comprando. A bolsa não está com rumo definido”, afirmou Santos, da H.Commcor.

As ações da Fibria registraram a terceira maior queda do Ibovespa, depois de a fabricante de celulose divulgar prejuízo líquido de 185 milhões de reais no quarto trimestre, atingida pelo efeito da variação cambial sobre a dívida líquida e pela adesão ao Refis.

Os bancos Bradesco e Santander Brasil também fecharam no vermelho após divulgarem seus números trimestrais.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below