EUA veem desaceleração da expansão da indústria e gastos com construção

segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014 14:23 BRST
 

NOVA YORK, 3 Fev (Reuters) - A atividade manufatureira dos Estados Unidos desacelerou com força em janeiro devido à maior queda em anos das novas encomendas, sugerindo que a economia perdeu fôlego no início de 2014.

O cenário econômico também tornou-se obscuro devido a outro dado nesta segunda-feira mostrando que os gastos com projetos de construção quase não cresceram em dezembro.

O Instituto de Gestão de Fornecimento (ISM, na sigla em inglês) informou que seu índice de atividade fabril nacional caiu a 51,3 no mês passado, menor nível desde maio de 2013, ante 56,5 visto em dezembro.

"Isso oferece um vislumbre sobre a fraqueza do crescimento nos últimos meses, confirmando o tom azedo em outros importantes indicadores econômicos", disse Millan Mulraine, vice-economista-chefe do TD Securities.

O dado de janeiro do ISM também ficou bem abaixo da expectativa em pesquisa da Reuters de 56, ficando aquém até mesmo da estimativa mais baixa, de 54,2. Leituras acima de 50 indicam expansão.

O que mais chamou a atenção no relatório do ISM foi a enorme queda no índice futuro de novas encomendas, que foi a 51,2 ante 64,4 em dezembro. Esse foi o maior declínio mensal desde dezembro de 1980.

Em relatório separado, o Departamento do Comércio informou que os gastos com construção subiram 0,1 por cento em dezembro após avançarem 0,8 por cento no mês anterior.

Enquanto os gastos com construção privada subiram 1,0 por cento, para máxima em cinco anos, os gastos com projetos públicos caíram 2,3 por cento. Essa foi a maior queda em um ano e refletiu o peso da fraqueza dos gastos de governos locais.

(Reportagem de Lucia Mutikani e Dan Burns)