Ações europeias recuam por preocupações com mercados emergentes

segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014 16:24 BRST
 

Por Sudip Kar-Gupta

LONDRES, 3 Fev (Reuters) - As ações europeias fecharam na mínima em um mês e meio nesta segunda-feira, pressionadas por dados mostrando que a economia chinesa perdeu fôlego e por crescentes preocupações com o impacto das turbulências nos mercados emergentes sobre as empresas.

O índice FTSEurofirst 300, que reúne os principais papéis do continente, recuou 1,41 por cento, a 1.272 pontos, após acumular em janeiro a primeira queda mensal desde agosto. É o menor nível de fechamento desde 18 de dezembro, quando terminou em 1.259 pontos.

Incerteza sobre a perspectiva de curto prazo levou o índice de volatilidade do Euro STOXX 50 a avançar 10,1 por cento, para 24,02 pontos. O índice saltou 57 por cento desde 21 de janeiro, refletindo temores sobre mercados emergentes nas últimas duas semanas.

Novas evidências de desaceleração no crescimento econômico na China vieram após o Índice Gerente de Compras (PMI, na sigla em inglês) do país recuar em janeiro.

Mercados emergentes, que dependem fortemente de investimento de países como China e Estados Unidos, têm sido impactados pela incerteza sobre a perspectiva chinesa e pela redução no estímulo econômico norte-americano.

Os cortes no programa de compra de títulos do Federal Reserve, banco central dos EUA, impulsionou os juros dos Treasuries, títulos de dívida pública norte-americana, levando investidores a recomprar Treasuries e vender ativos emergentes.

"O que é interessante é a rapidez e a escala com que as posições emergentes têm sido desmontadas", disse o diretor de pesquisa em alocação de ativos do Barings' Global Multi Asset Group, Christopher Mahon.

Em LONDRES, o índice Financial Times fechou em baixa de 0,69 por cento, a 6.465 pontos.   Continuação...