Sojicultor de RS e Nordeste entra em alerta com chuva escassa, diz AgRural

segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014 16:25 BRST
 

SÃO PAULO, 3 Fev (Reuters) - Os produtores de soja de algumas regiões do país, como os do Rio Grande do Sul e do Nordeste, começam o mês de fevereiro em estado de alerta diante do calor intenso, da seca e da previsão de chuvas escassas e irregulares para os próximos dias, disse a AgRural em relatório nesta segunda-feira.

"Vários dias de calor intenso e pouca chuva nos mapas de previsão acendem a luz amarela nesta reta final da safra brasileira de soja 2013/14", disse a consultoria.

A AgRural disse que, embora a produtividade esteja boa em grande parte do país, o tamanho da safra ainda não está definido em áreas que plantam mais tarde, como o Rio Grande do Sul, a região paranaense dos Campos Gerais e os Estados do Nordeste.

"Por isso, toda a atenção deve ficar voltada para esses pontos na primeira quinzena de fevereiro, quando a maior parte de suas lavouras estará nas fases decisivas para a definição da produtividade", disse a consultoria.

E a previsão climática não é animadora.

"Um bloqueio atmosférico impede o avanço das frentes frias chuvosas pelo Brasil, fazendo com que a maior parte das áreas produtoras passe por um prolongado período de tempo seco e quente", disse a Somar Meteorologia em relatório nesta segunda-feira.

Segundo a Somar, até 7 de fevereiro choverá forte somente sobre o oeste e norte de Mato Grosso, leste do Pará, norte do Tocantins e centro e norte dos Estados do Maranhão e do Piauí.

O tempo seco recente em algumas áreas não chegou a causar danos ao ponto de levar a consultoria alterar a sua estimativa mensal de safra para o Brasil, ainda mais porque em outras regiões, como o Mato Grosso, as produtividades têm sido bastante elevadas, compensando eventuais perdas em outros Estados.

A agência manteve a previsão de safra do Brasil em um recorde de 88,8 milhões de toneladas, mas fez um alerta.   Continuação...