3 de Fevereiro de 2014 / às 19:20 / 4 anos atrás

Dólar sobe 1% e volta a R$2,43, em reação a dados fracos dos EUA

Por Bruno Federowski

SÃO PAULO, 3 Fev (Reuters) - O dólar fechou com alta de 1 por cento, voltando ao patamar de 2,43 reais nesta segunda-feira, após dados econômicos fracos nos Estados Unidos alimentarem a aversão ao risco sobre os mercados emergentes.

A divisa norte-americana subiu 1,02 por cento, a 2,4371 reais na venda, após bater 2,4385 reais na máxima e 2,4006 reais na mínima do dia.

Segundo dados da BM&F, o giro financeiro ficou em torno de 770 milhões de dólares, bem abaixo da média diária apurada em janeiro, de 1,5 bilhão de dólares.

Em janeiro, a moeda norte-americana acumulou alta de 2,33 por cento e chegou a ser negociada no patamar de 2,45 reais em alguns momentos.

“A alta (desta sessão) veio em reação à piora nos mercados norte-americanos, o que por sua vez veio em reação aos dados fracos dos EUA”, resumiu o gerente de análise da XP Investimentos, Caio Sasaki.

“Quando o mercado norte-americano não vai bem, a tendência é que haja mais fuga do dólar do Brasil porque o estrangeiro vai buscar ativos de menor risco”, explicou.

A atividade manufatureira dos Estados Unidos desacelerou com força em janeiro devido à maior queda em anos das novas encomendas, sugerindo que a economia perdeu fôlego no início de 2014. Além disso, os gastos com construção no país quase não cresceram em dezembro.

Nesse contexto, investidores voltaram a se refugiar em ativos mais seguros, principalmente os denominados em dólares. Após recuar no início do dia, o dólar subia mais de 1 por cento frente ao peso mexicano e ao peso chileno.

Na primeira parte do pregão, as moedas emergentes registraram algum alívio, após sofrerem intensa pressão nas últimas sessões diante da onda global de mau humor com países em desenvolvimento.

“Saíram os índices americanos, o mercado acabou revertendo toda a baixa da manhã e o dólar deu um salto”, afirmou o gerente de câmbio da corretora Treviso, Reginaldo Galhardo.

A alta da moeda norte-americana veio mesmo com o Banco Central brasileiro dando continuidade nesta sessão às suas atuações diárias, vendendo a oferta total de até 4 mil contratos de swaps cambiais tradicionais --equivalentes a venda futura de dólares--, todos com vencimento em 1º de dezembro deste ano. O BC também ofertou swaps para 1º de agosto, mas não vendeu nenhum. A operação teve volume equivalente a 196,8 milhões de dólares.

Para esta terça-feira, a autoridade monetária anunciou leilão de swap cambial com as mesmas características, mas também adiantou que, na quinta-feira, dará início ao processo de rolagem dos swaps cambiais que vencem no início de março, no valor equivalente a 7,378 bilhões de dólares.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below