4 de Fevereiro de 2014 / às 15:02 / 4 anos atrás

Ambev recua após dados de produção de cerveja e ruído sobre Cade

SÃO PAULO, 4 Fev (Reuters) - As ações da companhia de bebidas Ambev operavam em baixa na manhã desta terça-feira, na sequência de ruídos sobre o prosseguimento de um processo contra a companhia no Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) e queda na produção brasileira de cerveja em janeiro.

Os papéis reverteram a alta do início dos negócios, quando chegaram a subir 1 por cento. Às 12h07, os papéis perdiam 0,84 por cento, diante de ganho de 0,79 por cento do Ibovespa.

Nesta terça, o Cade publicou despacho no Diário Oficial indicando que um processo de 2007 aberto pela Kaiser contra a companhia continuará tramitando sob a nova lei do Cade, que entrou em vigor em 2012.

Em nota, a autarquia esclareceu que houve a “mera ‘convolação’ do caso”, termo técnico que designa que um processo instaurado na lei antiga passará a ser regido pelo rito da lei nova, sem nenhuma consequência imediata para as partes envolvidas.

No processo, são investigadas supostas práticas de infração à concorrência pela celebração de acordos de exclusividade de vendas.

A política de refrigeração da Ambev também está sendo investigada pela cessão de freezers de diferentes marcas de seu portfólio aos pontos de venda, sob a condição de que cervejas de marcas rivais não fossem colocadas nos equipamentos e que um determinado volume de vendas fosse cumprido.

PRODUÇÃO MENOR

Segundo dados do Sistema de Controle de Produção de Bebidas (Sicobe) da Receita Federal, a produção nacional de cervejas recuou 2,5 por cento em janeiro sobre o mesmo período do ano passado.

Em nota enviada à clientes na véspera, o Itaú BBA chamou o resultado de “pouco inspirador”, mas lembrou que existem particularidades que podem distorcer a interpretação dos números: em 2013, a indústria havia acelerado a produção no início do ano, em vias da ocorrência do carnaval em fevereiro.

O BTG Pactual lembrou que a produção em janeiro do ano passado havia crescido 13,9 por cento na comparação anual, consolidando uma dura base de comparação para o mesmo mês deste ano.

Daqui para frente, são esperadas bases de comparação mais fracas, o que deve ajudar o aumento da produção nos próximos meses num cenário também favorecido por altas temperaturas, carnaval em março e Copa do Mundo, disse o BTG em relatório de segunda-feira assinado pela equipe do analista Thiago Duarte.

“Investidores que buscam tirar proveito do momento vão provavelmente encontrar na Ambev uma das melhores opções no setor de consumo brasileiro para a maior parte do primeiro semestre, quando esperamos que os volumes de cervejas avancem 8,5 por cento (contra 6,8 por cento no consolidado do ano)”, escreveram.

Por Marcela Ayres, edição Alberto Alerigi Jr.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below