Lucro trimestral da ADM recua 27% com custos relacionados à GrainCorp

terça-feira, 4 de fevereiro de 2014 13:50 BRST
 

4 Fev (Reuters) - A processadora de produtos agrícolas Archer Daniels Midland teve uma queda de 27 por cento no lucro trimestral, por custos relacionados com a frustrada aquisição da GrainCorp que ofuscaram a força dos seus negócios de oleaginosas e processamento de milho, informou a empresa nesta terça-feira.

A companhia, com sede em Decatur, Illinois, tentou comprar a trading GrainCorp por 13 meses antes de o governo australiano barrar o acordo em novembro, em duro golpe ao plano da ADM de expandir para atender a crescente demanda na Ásia e no Oriente Médio.

Grandes colheitas de milho e soja dos EUA na sequência da seca histórica de 2012 reabasteceram o mercado e impulsionaram os lucros nas divisões de oleaginosas e de milho da ADM, combinadas com a forte demanda por etanol e biodiesel.

"Os custos mais baixos de milho e as margens melhores no etanol ajudaram a apoiar uma melhoria significativa em nosso negócio de milho. Nosso grande desempenho em oleaginosas foi impulsionado pela nossa capacidade de atender à demanda robusta por farelo e melhores resultados de biodiesel na América do Norte e Europa", disse a presidente-executiva Patricia Woertz.

A ADM é uma das maiores processadoras de milho e soja dos Estados Unidos e uma das maiores fabricantes de etanol do mundo.

No trimestre encerrado em 31 de dezembro, a ADM teve um lucro líquido de 374 milhões de dólares, ou 56 centavos por ação, em comparação com 510 milhões dólares, ou 77 centavos por ação, um ano antes, informou a empresa.

O lucro líquido ajustado, excluídos os encargos relacionados com a GrainCorp e outros itens, foi de 95 centavos por ação, acima dos 60 centavos de dólar por ação de um ano antes, segundo a ADM.

Analistas em média esperavam lucro de 85 centavos de dólar por ação, segundo a Thomson Reuters I/B/E/S.

A receita caiu para 24,1 bilhões dólares, contra 24,9 bilhões de dólares no mesmo trimestre do ano anterior.

O lucro com o processamento de oleaginosas subiu 16 por cento, para 478 milhões de dólares no trimestre, enquanto os ganhos com a operação com milho saltaram para 279 milhões de dólares, contra 3 milhões de dólares um ano atrás.

(Reportagem Karl Plume, em Chicago)