Produção de fertilizantes do Brasil é a menor desde 2009, diz Anda

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014 11:30 BRST
 

SÃO PAULO, 5 Fev (Reuters) - A produção de fertilizantes no Brasil somou 9,30 milhões de toneladas em 2013, queda de 4,3 por cento na comparação com 2012, atingindo o nível mais baixo desde 2009, informou a Associação Nacional para Difusão de Adubos (Anda).

Em 2009, a produção de fertilizantes somou 8,37 milhões de toneladas, tendo ficado em torno de 9,5 milhões de toneladas nos últimos anos. Já a safra de grãos e oleaginosas do país cresceu desde 2009 cerca de 60 milhões de toneladas, para 196 milhões de toneladas, segundo a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

Os dados de 2013 reforçam a ideia de que a produção de fertilizante não está acompanhando o crescimento da safra brasileira, e que os agricultores do país continuam dependentes de crescentes importações do insumo, que atingiram volume recorde em 2013.

O Brasil, uma potência agrícola, importou no ano passado 21,6 milhões de toneladas de fertilizantes intermediários (nitrogênio, fósforo e potássio, matérias-primas básicas para o adubo), alta de mais de 10 por cento ante 2012.

O volume importado representou 69,5 por cento do total consumido no Brasil, contra 66,1 por cento em 2012.

As importações de fertilizantes nitrogenados apresentaram aumento anual de 15,9 por cento; os fosfatados tiveram alta de 20,5 por cento, e os potássicos, de 3,7 por cento.

De outro lado, a Anda apontou quedas na produção nacional dos fertilizantes nitrogenados de 5,2 por cento; nos fosfatados, de 3,6 por cento; e nos potássicos de 10,4 por cento. A entidade não deu detalhes dos motivos da redução.

Para 2014, se a produção não reagir, as importações de fertilizantes possivelmente vão se manter em patamares elevados, já que uma nova safra recorde de grãos e oleaginosas, de quase 200 milhões de toneladas, é esperada.

VENDAS RECORDES   Continuação...