Estratégia da Etihad enfrenta novo teste com possível acordo com Alitalia

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014 11:06 BRST
 

Por Victoria Bryan e Agnieszka Flak

FRANKFURT/MILÃO, 6 Fev (Reuters) - Um potencial acordo para comprar uma fatia da combalida companhia aérea italiana Alitalia

pode ser o maior teste até agora para a estratégia da Etihad, de Abu Dhabi, de usar participações em companhias aéreas em dificuldade como um modo mais fácil de ampliar sua presença mundial.

A coleção de fatias minoritárias em companhias aéreas da Etihad vai da Irlanda à Austrália e data da compra de uma participação de quase 30 por cento na Air Berlin, no fim de 2011.

A Etihad, que conduziu reestruturações e cortes de empregos na Air Berlin e Air Serbia, tem transferido, através das participações societárias e partilha de códigos, mais passageiros dos aviões de suas parceiras para seu pólo em Abu Dhabi enquanto evita os custos que uma aliança tradicional acarreta.

O investimento na Alitalia seria, no entanto, o primeiro grande aporte da Etihad em uma antiga e tradicional companhia aérea europeia, e isso traz uma série de questões problemáticas que outros potenciais investidores como a Air France-KLM não foram capazes de resolver.

A Etihad disse que investirá na Alitalia somente se a empresa se encaixar em sua rede, se ela tiver um plano crível para retornar à lucratividade e se ela puder lhe trazer sinergias.

A Alitalia oferece acesso ao quarto maior mercado de viagens da Europa e transporta mais de 25 milhões de passageiros por ano.

A companhia aérea perde, porém, 700 mil euros por dia e tem uma dívida líquida de mais de 800 milhões de euros. A Alitalia concluiu em dezembro um aporte de capital de 300 milhões de euros, que segundo analistas iria manter a companhia operando por seis meses.

(Reportagem adicional de Stanley Carvalho, Tim Hepher, Praveen Menon e Conor Humphries)