Syngenta vende todo estoque de semente de milho não aprovada na China

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014 11:59 BRST
 

Por Tom Polansek

CHICAGO, 6 Fev (Reuters) - A Syngenta, sob pressão dos exportadores de grãos dos EUA para suspender as vendas de sementes de milho contendo uma nova tecnologia geneticamente modificada não aprovada na China, disse na quarta-feira que este produto já esta esgotado.

A demanda pela tecnologia Agrisure Duracade tem sido muito forte porque a variedade foi criada para ser resistente à broca do milho (rootworm), disse o chefe operacional, Davor Pisk, a analistas em teleconferência.

"Nós temos muitos pedidos, particularmente por nosso produto Duracade que está entrando no mercado pela primeira vez", disse ele. "Este produto está esgotado."

Ao anunciar que todas as sementes contendo a tecnologia já foram vendidas, a Syngenta transfere o foco da controvérsia do setor agrícola para as tradings, que devem decidir se eles venderão o grão produzido com este tipo de semente.

A Syngenta, a maior empresa de agroquímicos do mundo, vem recebendo demandas de grupos de produtores dos EUA para suspender a comercialização do Duracade e outra semente geneticamente modificada Agrisure Viptera até que a China aprove o produto para importação.

A Associação Nacional de Grãos e Ração e a Associação Norte-americana de Exportadores de Grãos pediram à Syngenta no mês passado para suspender a comercialização das sementes, após as rejeições de carregamentos por autoridades chinesas. A China rejeitou cargas contendo a tecnologia Viptera, conhecida como MIR 162.

O cultivo do Duracade levará ao risco de novas interrupções e a potenciais perdas de milhões de dólares para tradings globais, se a variedade for misturada a outros carregamentos levando a nova rodada de rejeições pela China, como temem alguns analistas.

(Reportagem de Tom Polansek)