REEDIÇÃO-Bovespa sobe mais de 2% em movimento de correção e aproveitando alívio no exterior

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014 20:09 BRST
 

(Corrige dia da semana no 10º parágrafo para quarta-feira, não quinta)

SÃO PAULO, 6 Fev (Reuters) - A Bovespa teve alta generalizada nesta quinta-feira, com agentes financeiros aproveitando algum alívio nos mercados externos para abocanhar ações com preços considerados atrativos diante da forte queda acumulada no ano.

O Ibovespa subiu 2,39 por cento, a 47.738 pontos, com apenas 7 das suas 72 ações fechando no vermelho. O giro financeiro totalizou 7,2 bilhões de reais.

Guiado pelas blue chips Petrobras e Vale, o índice chegou subir mais de 3 por cento, na cola da tendência das bolsas europeias norte-americanas.

Investidores reagiram a dados mostrando que o número de novos pedidos de auxílio-desemprego nos EUA caiu mais do que o previsto na semana passada, aumentando a confiança de que a economia local está melhorando.

Na sexta-feira será conhecido o relatório de trabalho, considerado indicador base para do Federal Reserve, banco central norte-americano, decidir sobre o programa de estímulos.

"Pelo fato de não ter tido nenhuma notícia nova para deprimir os mercados, eles tiveram um alívio de pressão na venda. Qualquer coisa ligada ao 'payroll' que traga uma notícia positiva já deixa o mercado mais animado para os negócios", disse o analista Raphael Figueredo, da Clear Corretora.

A alta desta quinta também ocorreu conforme investidores consideravam que os preços de algumas ações brasileiras estão começando a ficar atrativos, após o Ibovespa acumular queda de 9,48 por cento no ano até o fim da sessão anterior.

"Nos níveis atuais, as ações brasileiras estão avaliadas a 8,9 vezes os lucros estimados em 12 meses, já refletindo o cenário de taxas de juros maiores em nossa visão. No curto prazo, podemos continuar a ver fluxos de saída de mercados emergentes e de fundos de ações brasileiros, o que pode levar a preços ainda mais baixos", afirmaram analistas do Bank of America Merrill Lynch em relatório nesta quinta.   Continuação...