ENTREVISTA-Espírito Santo Investment prevê banco privado tomando espaço do BNDES

sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014 12:01 BRST
 

Por Guillermo Parra-bernal e Aluisio Alves

SÃO PAULO (Reuters) - Os bancos privados no Brasil podem ganhar terreno no financiamento de grandes projetos, como resultado do declínio na concessão do crédito pelo BNDES neste ano, desde que o movimento não seja muito drástico, disse um executivo sênior do Espírito Santo Investment Bank (Besi).

Para Alan Fernandes, diretor de financiamento de projetos do banco, o crédito de bancos privados, bem como ofertas de instrumentos do mercado de capitais pode ajudar a preencher o vazio deixado pela retração do BNDES.

Segundo analistas, o atual ritmo de desembolsos recordes do BNDES é insustentável e a expectativa é de que o volume caia para cerca de 150 bilhões de reais neste ano, ante mais de 190 bilhões em 2013. O BNDES é a maior fonte de crédito de longo prazo para empresas e projetos de infraestrutura no país.

"O maior gargalo para o futuro é que os bancos privados terão de assumir o vazio deixado pelo BNDES", disse Fernandes, em entrevista. "O BNDES já sinalizou que a sua capacidade de obter financiamento está se aproximando do limite."

Executivos de bancos privados há anos se queixam da concorrência do BNDES para oferecer crédito a empresas.

O banco de fomento é responsável por cerca de um quarto do total do crédito corporativo no Brasil. Fernandes disse que a presença do BNDES no financiamento de projetos ajuda a aliviar as incertezas relativas a financiamentos.

PPPs

Autoridades do governo têm admitido a necessidade de frear a atividade dos bancos estatais, que estão expandindo suas carteiras de empréstimos quase cinco vezes mais rápido que os rivais privados. As empresas de rating têm mostrado um tom mais negativo com o país devido às consequências do maior uso de bancos públicos para retomar o crescimento.   Continuação...