Possível aumento de subsídios ao açúcar pela Índia preocupa Brasil

sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014 12:25 BRST
 

SÃO PAULO, 7 Fev (Reuters) - As notícias de que a Índia, segundo maior produtor mundial de açúcar, poderá elevar subsídios à exportação do produto bruto preocupam a indústria brasileira, por seu potencial de distorcer os preços da commodity no mercado internacional.

"A Índia vem fazendo uso de subsídios às exportações para açúcar há vários anos, aprofundando ainda mais as distorções ao mercado internacional que já vêm ocorrendo", disse presidente da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica), Elizabeth Farina, em nota.

Segundo a Unica, se for confirmado o subsídio de 128 milhões de dólares para a exportação de 4 milhões de toneladas de açúcar bruto, este volume se somaria aos 120 milhões de dólares gastos pela Índia nas últimas quatro safras para subsidiar transporte interno e exportações.

"Os dois tipos de subsídios praticados pela Índia são prejudiciais, de acordo com a OMC (Organização Mundial do Comércio), porque não só distorcem o mercado internacional como derrubam os preços artificialmente, punindo exportadores que não fazem uso dessas práticas", acrescentou a associação.

A medida afetaria o Brasil, maior produtor e exportador global de açúcar, responsável por metade do comércio global, bem como outros produtores como Tailândia, Austrália, Colômbia, Guatemala.

O subsídio indiano é concedido com o objetivo de reduzir estoques domésticos e manter os preços internos sustentados, mas o apoio estimula os embarques do produto em um mercado global já superabastecido.

O excedente global na oferta do açúcar vem pressionando as cotações internacionais do açúcar, negociados atualmente perto da mínima de três anos e meio.

Em outra frente de apoio, a Índia elevou em quase 5 por cento na quinta-feira o preço que as usinas devem pagar aos produtores de cana na atual temporada. O valor é revisado anualmente, mas o incremento este ano foi feito a despeito dos amplos estoques de açúcar e dos prejuízos da indústria.

O governo indiano também avalia nesta sexta-feira uma proposta de isenção de tributos e outros incentivos para a produção do açúcar bruto.

A produção de açúcar da Índia deverá cair cerca de 4 por cento na temporada 2013/14 para cerca de 24 milhões de toneladas. A expectativa inicial era de uma produção de 25 milhões de toneladas.

(Por Fabíola Gomes)