Custo de operação do sistema indica corte de carga de 5% no Sudeste e Sul

sábado, 8 de fevereiro de 2014 16:29 BRST
 

Por Anna Flávia Rochas

SÃO PAULO, 8 Fev (Reuters) - O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) revisou para cima a expectativa de aumento de carga de energia no Brasil em fevereiro e o custo de operação do sistema elétrico superou o primeiro patamar de custo de déficit de carga nas regiões Sudeste/Centro Oeste e Sul, numa sinalização de redução de carga de energia de cerca de 5 por cento.

Os dados são do modelo computacional de previsões de preço de energia do ONS, mas uma decisão por redução de carga tem que ser tomada pelo governo federal, que já descartou essa possibilidade após apagão que atingiu diversas regiões do país nesta semana, afirmando que o sistema elétrico está equilibrado e há margem para operação.

O custo do déficit superado nesta semana deve refletir, na prática, o quanto custa para a sociedade a insuficiência da oferta de energia elétrica, segundo informações da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), quando definiu esses patamares de custo para 2014.

A expectativa de aumento de carga de energia no Brasil em fevereiro foi revisada para uma alta de 15 por cento. O aumento de carga esperada foi divulgado pelo ONS no final da sexta-feira e é mais do que o dobro da estimativa da semana passada, de que a carga subiria 7,1 por cento neste mês na comparação com fevereiro de 2013.

Já o custo marginal de operação médio para a região Sudeste-Centro Oeste e Sul, indicado pelo modelo computacional para esta semana, superou o primeiro patamar que indica o custo déficit de energia, de 1.364,42 reais por megawatt-hora (MWh), patamar de redução de até 5 por cento da carga nessas regiões. Para esta semana, esse custo de operação do sistema está em 1.691,39 reais por megawatt-hora para as regiões Sudeste/Centro Oeste e Sul.

"Na semana de 8 a 14 de fevereiro, a previsão é de que ocorra chuva fraca em pontos isolados das bacias dos rios Uruguai e Jacuí. Nas demais bacias hidrográficas de interesse do SIN (Sistema Interligado Nacional) predomina a estiagem", informou o ONS no Sumário Executivo do Programa Mensal de Operação para esta semana.

O ONS acrescentou que o Sudeste/Centro-Oeste teve o segundo pior janeiro em regime de chuvas para geração de energia pelas hidrelétricas desde 1931 e que, pela previsão revista, no mês de fevereiro esta posição está mantida.

Além disso, o ONS prevê que o Nordeste apresente a menor média mensal de afluência de chuvas para os reservatórios de todos os meses de fevereiro do histórico.   Continuação...