Secovi espera estabilidade em vendas de imóveis em SP em 2014

terça-feira, 11 de fevereiro de 2014 13:19 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - As vendas de imóveis residenciais novos na cidade de São Paulo este ano devem ficar próximas do volume comercializado em 2013, quando o setor apresentou um desempenho acima do esperado pelo sindicato da habitação paulista, Secovi.

A entidade afirmou nesta terça-feira que o número de imóveis residenciais novos vendidos na capital paulista cresceu 23,6 por cento no ano passado, para 33.319 unidades, um resultado acima da média dos últimos dois anos e reflexo de um período de ajustes das construtoras após turbulências no setor.

Segundo o presidente do Secovi-SP, Claudio Bernardes, o resultado de 2013 superou as estimativas iniciais e potencialmente antecipou transações que seriam feitas apenas neste ano.

Por isso, a entidade estima que os volumes de vendas e lançamentos deste ano serão semelhantes aos de 2013, também na esteira de "um ano difícil com Copa do Mundo e eleições". A alteração do Plano Diretor Estratégico da cidade, cujo projeto está na Câmara de Vereadores para votação e traz incertezas par ao setor, também pesa sobre a avaliação.

Em recursos, o total vendido atingiu 19,1 bilhões de reais em 2013, alta de 30,2 por cento. No mesmo período, os lançamentos na capital paulista subiram 16,4 por cento, a 33.198 unidades, patamar próximo ao dos imóveis vendidos, indicando maior equilíbrio entre oferta e demanda.

Considerando apenas dezembro, as vendas de imóveis residenciais novos em São Paulo caíram 4,7 por cento ante igual período de 2012, a 2.791 unidades. Por sua vez, os lançamentos recuaram 2,7 por cento na mesma base de comparação, a 4.023 unidades.

(Por Marcela Ayres)

 
Operários fotografados durante intervalo em um canteiro de obras, em São Paulo. O número de imóveis residenciais novos vendidos na cidade de São Paulo cresceu 23,6 por cento em 2013, a 33.319 unidades, período em que os lançamentos avançaram 16,4 por cento sobre o ano anterior, divulgou o sindicato da habitação paulista, Secovi, nesta terça-feira. 11/12/2013. REUTERS/Nacho Doce