Congresso dos EUA aprova elevação do teto da dívida federal

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014 20:05 BRST
 

WASHINGTON, 12 Fev (Reuters) - O Congresso dos Estados Unidos aprovou nesta quarta-feira uma lei que estende por um ano a capacidade do governo federal de contrair dívida, curvando-se às demandas do presidente norte-americano, Barack Obama, para que o aumento do teto da dívida fosse aprovado sem condições atreladas.

Mas a ação final no Senado só veio depois de uma hora de tensa votação processual, forçada por objeções do republicano Ted Cruz, um conservador do Tea Party, quando pareceu num primeiro momento que não haveria republicanos suficientes para se juntar à maioria democrata e fazer avançar o projeto de lei.

A medida, aprovada pelo Senado por 55 a 43 votos, segue agora para sanção presidencial.

A Câmara dos Deputados, onde os republicanos têm maioria, aprovou a medida em uma votação apertada na terça-feira, depois que republicanos desistiram da tática de confronto utilizada em votações semelhantes ao longo dos últimos três anos.

O avanço desta medida nesta semana trouxe alívio aos mercados financeiros. Os investidores estavam ficando cada vez mais nervosos com a aproximação do dia 27 de fevereiro, quando o Tesouro espera esgotar a atual capacidade de endividamento, colocando em risco os pagamentos federais.

Sem um aumento do limite da dívida, o governo dos EUA poderia deixar de pagar algumas dívidas e encerrar alguns programas, o que teria provavelmente causado grave turbulência nos mercados.

(Por Susan Cornwell, com reportagem adicional de David Lawder)