Volume de negócios recua e lucro da BM&FBovespa cai 16,2% no 4º tri

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014 21:50 BRST
 

RIO DE JANEIRO, 13 Fev (Reuters) - O lucro líquido da BM&FBovespa recuou 16,2 por cento no quarto trimestre, frustrando a expectativa de analistas que esperavam crescimento, por conta da redução dos volumes negociados que levou a uma queda nas receitas.

O lucro líquido foi de 182,1 milhões de reais entre outubro e dezembro de 2013, ante 217,3 milhões de reais no mesmo período do ano anterior. A estimativa média de sete analistas ouvidos pela Reuters apontava para alta anual de 4,3 por cento no lucro do quarto trimestre , para 227 milhões de reais.

A receita líquida recuou 4,7 por cento, a 475,6 milhões de reais no quarto trimestre, enquanto as despesas caíram 1 por cento, a 253,5 milhões de reais.

No segmento BM&F, as receitas caíram 3,9 por cento em relação ao mesmo período de 2012, para 197,3 milhões de reais, devido à redução de 21,4 por cento no volume médio diário de contratos negociados.

A queda no volume foi parcialmente compensada pelo aumento de 20,3 por cento na receita média por contrato, reflexo das alterações no mix de contratos negociados e preços mais elevados dos contratos referenciados em dólar.

Já no segmento Bovespa, as receitas recuaram 7,3 por cento, a 221,2 milhões de reais, "devido à atividade menos intensa do mercado, reflexo, principalmente, de preocupações com o ambiente macroeconômico local", disse a empresa em comunicado.

Desta forma, o resultado operacional da empresa caiu 8,6 por cento, a 222,1 milhões de reais.

O resultado financeiro foi de 51,7 milhões de reais, alta de 20 por cento ante o quarto trimestre de 2012, apesar das despesas terem aumentado 41,9 por cento por conta da desvalorização do real ante o dólar, que impactou os juros da dívida externa da companhia.

A bolsa paulista espera a implantação da sua nova câmara de compensação (clearing) integrada no primeiro semestre.

No quarto trimestre, foram investidos 86,7 milhões de reais, sendo grande parte em projetos de tecnologia. No ano, os investimentos chegaram a 289,2 milhões de reais, em linha com as estimativas da companhia.

(Por Juliana Schincariol)