Acões da ALL disparam quase 20% com avanço em negociação com Rumo

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014 11:02 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - As ações da ALL disparavam nesta sexta-feira na Bovespa, em alta de cerca de 20 por cento, com investidores repercurtindo notícia de que as negociações da empresa para fusão com a Rumo Logística avançaram.

Às 10h59, a ação da empresa de ferrovias avançava 18,5 por cento, a 6,40 reais, enquanto o Ibovespa tinha ganhos de 0,32 por cento. Ao mesmo tempo, a ação da Cosan, que controla a Rumo, subia 5,7 por cento.

Nesta manhã, a ALL e a Cosan afirmaram, em diferentes comunicados, que as negociações avançaram nos últimos dias, mas que não existe até agora acordo firmado entre as duas empresas, em meio a informações na imprensa de que uma fusão estaria próxima de ser anunciada.

Apesar de ainda não terem detalhes da operação, analistas viram a notícia como positiva para ambas as empresas, inclusive para solucionar a disputa judicial na qual a Rumo acusa a ALL de não cumprir com o transporte de volumes contratados para escoamento de açúcar.

"Com a reestruturação, a ALL pode ser capitalizada mais para frente e realizar os investimentos e melhora das malhas ferroviárias e ganhos operacionais, enquanto a Cosan, que já vinha tentando essa fusão no passado, pode ter melhores condições de preço do que na época, além de acabar com o imbróglio do contrato com a ALL e obter ganhos com a integração das operações", afirmaram analistas da XP Investimentos, em relatório.

Analistas do Bradesco também consideraram que a transação seria positiva para a ALL no longo prazo, dado que resolve a disputa judicial com a Rumo.

"Acreditamos que essa transação seria positiva no geral para a ALL, especialmente considerando que encerraria o fluxo de notícias negativas que pressionaram a performance da ação da empresa recentemente. Notamos porém, que a transação ainda estaria sujeita a aprovação pela maioria absoluta dos acionistas da ALL", disseram os analistas do Bradesco em nota.

Segundo notícia divulgada pelo jornal Valor Econômico nesta sexta-feira, as duas empresas devem fechar um acordo de fusão na próxima semana, sendo que a nova companhia seria gerida por um acordo de acionistas com participação de Cosan, TPG e Gávea, os fundos minoritários na Rumo, além do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

O jornal afirmou ainda que a ALL representará entre 60 e 65 por cento da companhia resultante, que ainda não possui nome, enquanto a Rumo representará o restante.

(Por Roberta Vilas Boas)