BM&FBovespa lucra menos no 4º tri, mas recompra faz ações subirem

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014 18:05 BRST
 

SÃO PAULO, 14 Fev (Reuters) - As ações da BM&FBovespa subiram nesta sexta-feira, em meio ao anúncio de um programa de recompra e de expectativa de ganhos da receita com novos produtos, controle de custos e maior produtividade, que ofuscaram a queda no lucro trimestral.

A ação da companhia subiu 3,68 por cento, a 9,58 reais, enquanto, o Ibovespa avançou 0,81 por cento.

Em apresentação a investidores, executivos frisaram ganhos esperados pela companhia com a entrada em funcionamento da clearing unificada (ativos, derivativos, ações e câmbio) e do novo datacenter, ambos ainda neste ano, além de maiores receitas com novos produtos.

"Neste ano, vamos entregar 16 novas soluções", disse o presidente-executivo, Edemir Pinto, citando entre outras novidades o lançamento dos recibos de ações (BDRs) de empresas europeias e novos produtos no mercado de balcão.

A BM&FBovespa previu que a participação de novos produtos na composição de suas receitas nos próximos anos seguirá crescendo. A fatia desses produtos na receita total subiu de 2,6 para 7,7 por cento entre 2009 e 2013.

A iniciativa pode ser uma forma de tornar o faturamento menos dependente às flutuações de mercado. A volatilidade dos últimos meses fez a receita líquida da empresa cair 4,7 por cento no quarto trimestre, na comparação anual, para 475,6 milhões de reais, anunciou na véspera.

Com isso, o lucro líquido somou 182,1 milhões de reais entre outubro e dezembro, ante 217,3 milhões de reais no mesmo período de 2012. A estimativa média de sete analistas ouvidos pela Reuters apontava para lucro de 227 milhões de reais.

"Esperamos ter uma receita mais diversificada", disse a jornalistas o diretor-executivo de Produtos e de Relações com Investidores, Eduardo Guardia.

A companhia calcula que após a Páscoa receberá homologação do Banco Central para funcionamento da nova clearing. A iniciativa faz parte de um programa de gestão integrada de riscos, que tende a exigir menos margens de garantia para os investidores que operarem nos diferentes mercados da bolsa.   Continuação...