Ibovespa tem 2a alta com nova meta fiscal em pregão volátil

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014 17:46 BRT
 

SÃO PAULO, 20 Fev (Reuters) - A Bovespa encerrou em alta nesta quinta-feira o pregão marcado por forte volatilidade, com o mercado reagindo à nova meta fiscal do governo brasileiro para 2014 e seguindo o avanço das bolsas norte-americanas.

O Ibovespa subiu 0,29 por cento, a 47.288 pontos, tendo avançado e perdido cerca de 1 por cento na máxima e na mínima. Foi a segunda alta consecutiva.

O giro financeiro do pregão somou 5,7 bilhões de reais.

O governo brasileiro anunciou nesta quinta uma nova meta fiscal para o ano, de 1,9 por cento do Produto Interno Bruto (PIB), e o contingenciamento de 44 bilhões de reais no Orçamento, numa tentativa de melhorar a credibilidade de sua política fiscal.

Além de levantar a Bovespa, o anúncio derrubou o dólar contra o real e os contratos de juros futuros, mostrando uma recepção favorável do mercado.

"É um comprometimento 'crível', sério por parte do governo, pois mostra que ele vai ficar mais empenhado no combate à inflação e com instrumentos mais bem vistos do ponto de vista do crescimento, com o corte de despesas", disse o economista Gustavo Mendonça, da Saga Capital.

Ainda assim, cautelosos, agentes financeiros aguardam sinais de como o governo brasileiro irá atuar para cumprir a meta fiscal anunciada.

A alta das bolsas norte-americanas também amparou a alta do Ibovespa. A atividade industrial nos Estados Unidos cresceu em fevereiro no ritmo mais rápido em quase quatro anos, em parte pelo crescimento de novos pedidos, mostrou o Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) preliminar da empresa de dados financeiros Markit.

Dados negativos da China, que levaram a Bovespa a recuar no início do pregão, impediram alta mais acentuada. O PMI preliminar do Markit/HSBC da indústria da China caiu para a mínima de sete meses. A ação preferencial da mineradora e exportadora Vale perdeu 1 por cento, maior pressão de baixa do Ibovespa.   Continuação...